28 julho 2011

No caso...

Compro tempo, troco insonia e to doando cansaço.

Preciso passar uma semana em coma pra recuperar todas as noites que to perdendo por conta de insonia.
Trabalhando pra sempre
Chefe bancando a melindrosa (pergunta se tenho paciência)
Amiga carente querendo discutir a relação (pergunta se tenho paciência x2)
Nada de tempo pra treinar ou estudar.

Resumindo: AHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH!

Pronto passou, passou!


26 julho 2011

Dilma quer o dobro de policiais em ações nas fronteiras

No programa Café com a Presidenta desta segunda-feira (25/7), a presidenta Dilma Rousseff fez um balanço do Plano Estratégico de Fronteiras, lançado há um mês pelo governo federal. Durante a entrevista, a presidenta explicou que o Plano é formado por duas grandes operações: a Operação Sentinela, coordenada pelo Ministério da Justiça (MJ) com apoio logístico das Forças Armadas, e a Operação Ágata, conduzida pelo Ministério da Defesa com o apoio do MJ.
Café com a presidentaCriada em 2010, a Sentinela envolve o trabalho direto da Polícia Federal, da Polícia Rodoviária Federal e da Força Nacional de Segurança Pública. Segundo a presidenta, essa Operação foi intensificada e passará a contar, ao longo de 2011, com o dobro de agentes policiais. Já a Operação Ágata, criada recentemente, é desenvolvida de maneira localizada e concentrada e tem como marca a surpresa. Para a presidenta Dilma, a segurança na fronteira representa um grande desafio em razão do tamanho do Brasil e da diversidade geográfica. Entretanto – complementa a presidenta – esse desafio será enfrentado com os vários recursos que estão sendo criados.
“Na verdade, Luciano [Seixas, locutor do programa], não vai ser fácil, não, o tamanho do Brasil e a diversidade da nossa geografia são os grandes desafios para a segurança na fronteira brasileira. São quase 17 mil quilômetros de extensão. E para cada região precisamos ter estratégias diferentes. Mas estes desafios não nos assustam, vamos usar diversos modos de ação para enfrentá-los”.
De acordo com a presidenta, o combate às estratégias criminosas será feito com integração, inteligência – que quer dizer investigação e informação – e fiscalização. “O Plano Estratégico de Fronteiras integra, de maneira inédita, as forças federais”, ressaltou Dilma. Ela explicou que pela primeira vez as forças civis se integraram às Forças Armadas para agir numa só coordenação, no Centro de Operações Conjuntas, que fica no Ministério da Defesa, em Brasília.
Ouça abaixo a íntegra do programa Café com a Presidenta ou leia aqui a transcrição:
Dilma Rousseff considerou bastante positivo o primeiro mês de atuação do Plano Estratégico de Fronteiras, o que sinaliza, segundo ela, que o Plano está dando certo.
“Houve crescimento significativo na apreensão de drogas e produtos de contrabando: 550 pessoas, por exemplo, foram presas em flagrante; 10,5 toneladas de maconha (…); e 500kg de cocaína foram apreendidos nas fronteiras nesse mês. Esses resultados sinalizam que o nosso plano está no caminho certo”.
Além da presença física das Forças, o Plano também contará com fortes investimentos em tecnologia, informou a presidenta. Para ela, é impossível imaginar que quase 17 mil quilômetros de fronteira possam ser monitorados só com policiais e soldados; é preciso usar inteligência, informações e equipamentos que permitam planejar as ações.
“As operações contam com dados produzidos pelos órgãos do Sistema Brasileiro de Inteligência. O Ministério da Defesa está fazendo um estudo para termos o sistema de satélite também, que se chamará SisFron – para monitorar toda a área por satélite”.

Fonte:Blog do Planalto
NOTA DA MARI:
É pessoal...tão farejando o mesmo que eu?
Aspirantes a APF e EPF essa notícia é o número de vcs hen! Fica vivo!
;)




11 julho 2011

Cresce Cobrança Por Concurso da PF


Em discurso nesta segunda-feira, 13, o senador Mozarildo Cavalcanti (PTB-RR) relatou que os senadores integrantes da Subcomissão Permanente da Amazônia e da Faixa de Fronteira vêm realizando reuniões e audiências públicas com o intuito de buscar soluções definitivas para o desenvolvimento socioeconômico e a proteção das regiões fronteiriças do país. Mozarildo é presidente da subcomissão, que funciona no âmbito da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE).

A maior parte dos 17 mil quilômetros de fronteiras brasileiras são em áreas secas "sem nenhum tipo de obstáculo ao ir e vir de pessoas", disse Mozarildo. Em virtude dessa falta de fiscalização, acrescentou o senador, é comum o tráfico de drogas e o contrabando de armas e outras mercadorias - como medicamentos falsificados e produtos pirateados - nas fronteiras nacionais.

"É realmente lamentável que as nossas fronteiras sejam tratadas dessa forma", opinou.

Mozarildo elogiou a iniciativa da presidente Dilma Rousseff de lançar o Plano Estratégico de Fronteira, que tem por objetivo reforçar a segurança nas divisas do Brasil com outros países. Regiões como as fronteiras de Roraima com a Guiana e com a Venezuela, disse o senador, precisam de mais presença do Exército e da Polícia Federal.

"O Exército brasileiro tem unidades militares em quase toda a extensão, mas em número insuficiente, em quantidade de pessoal e em equipamentos também insuficientes. Então é preciso que, com esse plano de fronteiras lançado pela presidente Dilma, nós possamos melhorar a presença na fronteira toda", declarou.

Roraima

Mozarildo também aproveitou para pedir celeridade ao Ministério da Integração Nacional na liberação de recursos para Roraima em virtude das fortes chuvas e enchentes que atingem o estado. De acordo com o senador, as atuais chuvas em Roraima são as mais fortes dos últimos 35 anos e diversas cidades estão em situação calamitosa.

Segundo o senador, a cidade de Caracaraí, às margens do Rio Branco, está "completamente alagada", com pessoas desabrigadas e supermercados desabastecidos.

"Faço apelo para que realmente os recursos sejam liberados, e que as Forças Armadas, que já estão atuando lá, socorram inclusive os indígenas, da reserva Raposa Serra do Sol, no município de Uramutã, que estão isolados. Que esses recursos não só sejam liberados, como muito bem fiscalizados, porque senão nós vamos ter dinheiro lá, mas não chegando a ser aplicado na finalidade que é o atendimento a essas pessoas", afirmou.Agência Senado

08 julho 2011

Forças Revolucionárias da Colômbia - FARC



Estava eu sentada, tranquilamente em uma mesa de boteco na noite de ontem, para me despedir de um colega de trabalho de quem gosto muito. Na mesa haviam várias pessoas, dentre geógrafos, biólogos, e um engenheiro colombiano (não conhecia ele). 


Até ai, nada demais certo. Eis que o tal colombiano, estava conversando com um pessoal do outro lado da mesa e a BICO aqui se ligou no alerta máximo quando ouviu a palavra FARC sair da boca do sujeito. Pois bem galera, me antenei na conversa, mas como mamãe me deu educação peguei só o suficiente pra depois puxar papo com o caboclo.


Algum tempo depois ele se levantou e chegou perto do meu amigo que estava ao meu lado. Eu com toda sutileza que NÃO possuo, já chamei ele pra assentar:
- Fulano, conversa comigo que to cheia de problema. (Isso sempre funciona, as pessoas te dão super atenção rsrsrrs).
- Desculpe minha indiscrição, mas ouvi vc falar foi sequestrado pelas FARC. Me conta isso.


Ô gente o tal moço contou uma história FANTÁSTICA, e ao mesmo tempo BIZARRA. Narrarei pra vcs:


Disse que foi sequestrado por que ele trabalhava para um multinacional, então as FARC achavam que era um engenheiro rico.


Quando foi capturado ele foi vendado e caminhou assim por 4 dias pela selva, sempre durante a noite. Segundo ele, a caminhada sempre começava às 6 da tarde e parava as 6 da manha. 


Ele foi mantido em cativeiro em plena selva, onde ficava amarrado à uma árvore por um dos pés e uma das mãos. Esse era o carcere. Uma árvore em frente a um bunker da guerrilha, aos efeitos do vento, sol e chuva.


Disse-me ele, que investigaram a vida dele TODA. Ligaram para o trabalho dele, para a casa dele, fizeram vigilância, olharam a conta bancária dele. A descrição da tecnologia desses infelizes em plena selva me deixou boquiaberta. Computador e telefone via Satellite, armas e tudo mais.


Quando perguntei a ele como foi que ele saiu de lá ele me disse:
- Eles me soltaram, caso contrário estaria lá até hoje. Não tem como fugir, tem sensores de movimento em torno de todo o acampamento e eles te vigiam 24 por 7.


Apos as investigações a cerca do patrimônio do sujeito, viram que ele não era rico. Uma vez que ele não tinha mais utilidade, o vendaram novamente, e o fizeram caminhar por 3 noites (VENDADO) com uma arma na nuca. Então o desvendaram e o abondaram em plena selva para se virar e voltar para casa. Ele procurou um rio, pois, pensou: - As pessoas geralmente moram próximas da água, então se encontrar um rio, posso encontrar alguém. Assim, ele procurou e encontrou um rio e nele andou por mais 2 dias pela mata (sem comida), até que encontrou uma casa, onde os donos o levaram ao exército e ele voltou para casa.


A descrição dele a cerca do medo que ele teve, pois o vestiam como um guerrilheiro e ele temia ser visto pelas tropas do governo e assassinado. Os detalhes sobre a dor que sentia por estar amarrado, o frio, o desconforto de ter que fazer as necessidades fisiológicas no local que dorme e come. Foi tudo muito surreal e doído de ouvir.


Aquando ele terminou o relato, me perguntou por que tive curiosidade sobre isso. Respondi:
- É por que quero ser PF e combater esse tipo de coisa, então quero entender como funciona. 


A reação dele, foi bem parecida com a  de muita gente, mas devido à vivência dele, as palavras foram como uma pancada no estômago. Ele disse, com a docilidade de quem aconselha sobre algo que viveu:
- Permita-me um conselho. Você é uma moça tão bonita, jovem e já tem uma carreira promissora. Não faça isso com sua vida, pois se te pegarem, com certeza você vai passar os piores momentos da sua vida (nem precisou explicar o que isso queria dizer né, entendi direitinho). 


Diante disso ele me relatou sobre uma mulher que esteve no mesmo local que ele, tb na mesma situação. Disse que ela sofria muito, pois "as mulheres tem nescidades diferentes dos homens" e que um dia ele teve que lhe dar sua blusa para que ela pudesse estancar uma hemorragia. 


Falou ainda:
- Essas pessoas não tem nada a perder, te matam por que querem, por que podem. Combater as FARC é quase inútil elas sabem que o governo não conseguiria acabar com a guerrilha se tentasse.


O relato mais intrigante que ele fez, foi a respeito da Ingrid Betancourt. Segundo ele, a biografia dela sobre os anos que passou presa é mentirosa. Relatou que é sabido por toda Colômbia que ela sabia que seria sequestrada e que nada fez a respeito. Além disso, nos 11 anos que teria ficado em cativeiro, ensinou aos combatentes o francês e o inglês, e ainda os treinava e comandava uma das bases da FARC.


Não sei qual a veracidade de uma informação como essa, me choca até o fato de isso ter sido levantado, quanto mais a possibilidade de ser verdade.


Mas uma coisa eu sei, quando ele terminou de falar isso e disse: - Entendeu por que você deve desistir da PF?
Eu: - Entender eu entendo, mas é exatamente por isso que quero entrar. Para sentir que posso fazer algo a respeito. Por menor que seja minha participação e mais inútil que ela possa ser para o processo como um todo, eu PRECISO FAZER ALGO A RESPEITO.


Ele apenas assentiu com a cabeça e disse: - Si. Yo comprendo. 
E afagou minha cabeça, com um sorriso gentil de "tadinha, mal sabe ela" no canto dos lábios.


É gente...lá o bicho pega de verdade! #medo


Para quem quiser saber um pouco mais sobre as FARC só clicar no AQUI

06 julho 2011

04 julho 2011

Perdendo a Linha!

Mais uma momento daqueles em que fui obrigada a perder a linha (e o filtro) por causa de uma baseado. E la fui eu jogar pérolas aos porcos!

Minha gente, tenho um milhão defeitos, dentre eles o de ser transparente demais. Tem hora que é bom, mas tem hora que sei que deveria filtrar mais as coisas e fazer a linha Stevie Wonder, mas eu simplesmente NÃO ME CONTENHO. Vou narrar os fatos.

O meu irmão mais novo tem uma turminha que é chegada numa Cannabis sativa. Toda festa que tem, em determinado momento, la vão as mãozinhas ágeis enrolando o tal orégano na seda. Pois bem, eu LÓGICO saio de perto. Não adianta ficar fazendo discurso pra esse povo. Um bando de filinhos de papai, que acha que, só por que não compram de um fornecedor do morro, não sustentam o tráfico.

Sim pessoas...Pasmem! Um deles alega e defende isso com uma veemência que até parece plausível. Um demente o coitado. O pior vcs não sabem. Esse acéfalo quer ser DPF....hahaha...QUERIA VER.
Ri na cara dele, coitado (olha o filtro gente).

Mas o que mais me matou de raiva, e que me fez despejar toda minha ira, foi um PMMG fumando baseado.

CHUPA ESSA MANGA GALERA! O FDP ERA PM E TAVA LA NA NOIA.

Fiquei na minha pra não der muito esparro. Quando o DPF fracassado chegou perto eu falei com ele, com o tom de ironia que me é peculiar.
 Mari - É Fulaninho, tomara que vc nunca entre pra PF se não esse país ta na merda mesmo (bota o cavalo).
Ele riu, claro! Dai o PMzinho de merda chegou perto. Há....já dei com as 4 ferraduras no peito dele. Vai vendo...

Mari - E vc projeto de PM, To te vendo. Não tem vergonha na cara, não é?

A princípio eles fizeram a linha "isso é intriga da oposição". Biricaram que eu não tinha provas documentais para alegar isso, e que ninguem ali serviria de testemunha, afinal a turma PRATICAMENTE TODA fumava. Portanto, poderia ser processada por calúnia.(Aff. odeio estudante de Direito...tão cheio de Data Vênia que me enoja). O que eles nunca esperam é que eu, apesar de bióloga, estudo Penal.

Mari - Não sei do que vcs estão falando. Eu não disse do que eu estava falando, só falei que tava te vendo. Posso muito bem estar falando de qualquer coisa. Vocês é que estão se comprometendo.

Hahaha...houve silêncio!! Dai, sim veio a defesa...porca né, pra variar.

PM - Que isso Mari, a maconha só faz mal por que o governo não libera. Se fosse liberado não dava problema.
Mari - Ah claro! E se homicídio não fosse crime ninguém ia preso. Se assalto e sequestro fosse liberado por lei, não tinha lotação na cadeia. Gostei da sua linha de raciocínio.
Aspirante a DPF - Pelo menos não to cometendo um crime. Ser usuário não é crime.
Mari Sim, brilhante conclusão. Criminoso é o bandido que vende pra vc né.
Aspirante a DPF - Não. Eu não compro no morro.
Mari - Hahaha. C ta me zoando né? 
PM - Mas não é crime mesmo ser usuário.
Mari - E nem sustentar o tráfico, cooperar para a morte de crianças e policiais na fornteira. Nada disso é crime né. Ou será que o dinheiro de vcs vai pra uma ONG em vez de ir pro tráfico? Tô na dúvida.
PM - Da licença que tenho que ir no banheiro. (Ops! Acho que alguém não tem argumentos...)
Aspirante a DPF - Se eu plantar em casa é crime. O que vc espera que eu faça?
Mari - O mesmo que eu. NÃO FUME! 

Numa boa gente. Não é o fato do cara gostar de maconha que me incomoda. se o infeliz plantar na casa dele por mim, tudo bem. É ilícito eu sei, mas pelo menos não faz mal à ninguem. O fato do cara contribuir com o tráfico é que me mata.

Mais uma vez perdi a paciêncie e ingressei em uma discussão que não tem efeito nehum. Mas...fazer o que. NÃO AGUENTO HIPOCRISIA.

PS: Rê agora vc pode me chamar de brava ;)!
Sampaio se vc defender o PM eu te mato rsrsrsrsr!