20 junho 2011

Ode ao serviço policial



O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, fez um discurso no Memorial Day a alguns dias atrás, que tomei a liberdade de readequar para caber em nossa realidade. Segue:


...É graças aos policiais, e não aos sacerdotes, que podemos ter a religião que desejamos. É graças aos policiais, e não aos jornalistas, que temos liberdade de imprensa. É graças aos policiais, e não aos poetas, que podemos falar em público. É graças aos policiais, e não aos professores, que existe liberdade de ensino. É graças aos policiais, e não aos advogados, que existe o direito a um julgamento justo. É graças aos policiais, e não aos políticos, que podemos votar...









10 junho 2011

Comentários Anônimos!



Todos que acompanham esse blog sabem o quanto eu ADOOORO os Anônimos arrogantes, petulantes, cheios de razão e opinião que falam, falam, mas não honram as calças que vestem.


Odeio covardia e imodéstia.


Uma coisa é dar sua opinião, outra bem diferente é se esconder por de traz do anonimato para falar o que vem  à cabeça, desconsiderando os bons limites do respeito e da ética.


Infelizmente, alguns utilizam-se deste artificio para falar o que querem e só me amolam. Não sou faca de açougue, por tanto,  essa opção não está mais válida neste blog.


Quer dar sua opinião...dê. Esteja livre para descordar e debater, mas não se sinta a vontade para falar tudo que vem à cabeça, utilize o filtro.


Bjos!

09 junho 2011

Apreensão de arsenal no México.



As autoridades de segurança do México apresentaram nesta quinta-feira uma grande quantidade de armas apreendidas do grupo criminoso Los Zetas. O arsenal, que foi apreendido no povoado de Villa Unión, na região de Coahuila, contém mais de 200 armas, entre pistolas, fuzis e metralhadoras, mais de 29 mil cartuchos, quase 800 carregadores, 15 granadas e 504 uniformes. Na operação foram presos cinco integrantes do cartel de drogas

Foto: EFE
Fonte: Terra 

NOTA DA MARI:

Os cinco meliantes da foto abaixo são integrantes do grupo Los Zetas, uma dos mais violentos e atuantes do México. A equipe da Marinha que fez a prisão é composto por vários Chuck Norris rsrsrs.

Mexe com eles procê vê!!



Pros traficas, DEU DÓ QUE CHAMA hahahahaha! ADOROOOO!

Governo federal lança plano para prevenir e enfrentar crimes nas fronteiras

A presidenta Dilma Rousseff lança nesta quarta-feira (8/6) no Palácio do Planalto o Plano Estratégico de Fronteiras. A iniciativa prevê uma série de operações integradas entre as Forças Armadas e os órgãos de segurança pública federais para prevenir e reprimir ilícitos transnacionais.
Pela primeira vez com coordenação conjunta, as Forças Armadas se integram às forças federais de segurança pública para atuar em operações nas áreas fronteiriças. Os objetivos centrais do plano são a redução dos índices de criminalidade e o enfrentamento ao crime organizado por meio da atuação integrada das instituições dos ministérios da Justiça e da Defesa, além da cooperação com os países que fazem fronteira com o Brasil. Entre os crimes fronteiriços mais comuns estão o tráfico de drogas, de armas e de pessoas, além dos ilícitos ambientais e fiscais, como o contrabando e o descaminho.
O plano de fronteiras conta com a ação integrada da Marinha, Exército, Aeronáutica, dos departamentos de Polícia Federal e de Polícia Rodoviária Federal, além da Secretaria Nacional de Segurança Pública e da Força Nacional de Segurança Pública. Numa segunda etapa, está prevista a participação de órgãos estaduais e municipais de segurança nas operações.
São dois os eixos principais do plano. O primeiro é o fortalecimento da Operação Sentinela. Realizada com êxito pelo Ministério da Justiça desde 2010, a Sentinela é de caráter permanente e tem foco em ações de inteligência. Essa operação será intensificada e passa a contar com o apoio das Forças Armadas. O efetivo de policiais dedicados exclusivamente à operação será dobrado.
O segundo eixo é a Operação Ágata. Diferentemente da Sentinela, essa operação é de natureza pontual e temporária. Baseia-se no aumento da presença e do impacto das forças envolvidas em pontos específicos da fronteira. Inicialmente foram escolhidas cinco áreas em diferentes estados, do norte ao sul do país, onde foram observadas maior incidência de crimes. Somente a Ágata envolverá a participação de aproximadamente cinco mil homens das Forças Armadas e o uso de meios como embarcações, aviões e outros veículos militares.

Centro coordenará operações

O Plano Estratégico de Fronteiras abrangerá uma área de 2.357 milhões de quilômetros quadrados, o que equivale a 27% do território nacional. As ações cobrirão os principais pontos da linha de fronteira, cuja extensão é de 16.886 quilômetros. A faixa de fronteira se projeta por 150 quilômetros para dentro do território nacional a partir da linha divisória com os dez países vizinhos. Compreende 11 estados, 710 municípios, abrangendo uma população de 10,9 milhões de pessoas.
Imagens da operação Amazonas. Foto: Elio Sales/MD
A integração entre as Forças Armadas e órgãos de segurança pública terá um comando único, o que é inédito nesse tipo de operação. O acompanhamento e coordenação das ações do plano serão realizados a partir do Centro de Operações Conjuntas (COC), sediado no Ministério da Defesa, em Brasília. No COC, atuarão de forma integrada representantes das três forças e de todos os órgãos de segurança.
Cabe ao Centro estabelecer as diretrizes das operações e acionar os meios necessários à sua execução. Algumas operações serão coordenadas pela Polícia Federal, por exemplo, com o apoio da Marinha, Exército e Aeronáutica. Em outras, a coordenação pode ser das Forças Armadas, com suporte dos órgãos de segurança. As operações também contarão com dados produzidos pelos órgãos do Sistema Brasileiro de Inteligência (Sisbin), que estarão interligados às ações.
Para além das operações Sentinela e Ágata, o Plano Estratégico de Fronteiras prevê ações de caráter estruturantes para melhorar as condições de segurança da população e a proteção das áreas que integram a faixa de fronteira. Entre as iniciativas de longo prazo estão a construção de residências funcionais para policiais, a instalação dos Gabinetes de Gestão Integrada de Fronteiras, a implementação de sistema de comunicação integrado e investimento em modernização tecnológica.
O plano foi formalizado por decreto da presidenta Dilma e pela assinatura de acordo de cooperação entre os ministros da Justiça, José Eduardo Cardozo, e da Defesa, Nelson Jobim. O acordo de cooperação permitirá, do ponto de vista jurídico e administrativo, a execução do conjunto de ações integradas entre as duas pastas para intensificar o enfrentamento a crimes nas regiões fronteiriças.
Fonte: Bolg do Planalto
PS: Valeu pela dica Manuel ;)

08 junho 2011

Superior Tribunal de Justiça considera operação Satiagraha ilegal

Superior Tribunal de Justiça considera operação Satiagraha ilegal
A operação da Polícia Federal foi ilegal em razão da participação de funcionários da Abin - a Agência Brasileira de Inteligência.




A justiça considerou ilegais as provas e anulou a operação Satiagraha, da Polícia Federal, a que levou o banqueiro Daniel Dantas por alguns dias para atrás das grades.


A decisão foi divulgada no site do Superior Tribunal de Justiça: por três votos a dois, a 5º turma do Superior Tribunal de Justiça considerou que a operação Satiagraha, da Polícia Federal, foi ilegal em razão da participação de funcionários da Abin - a Agência Brasileira de Inteligência.


Por isso, as provas reunidas na investigação não podem ser usadas em processos judiciais. O voto que desempatou o julgamento foi dado pelo presidente da turma, ministro Jorge Mussi.


Ele argumentou que os servidores da Abin teriam tido acesso a informações sigilosas e a documentos reservados. Segundo o ministro, a Abin poderia atuar na investigação sem autorização judicial, desde que requisitada, mas não na clandestinidade.


Para ele, como já definiu o Supremo Tribunal Federal, uma prova ilícita contamina de ilegalidade todas as outras decorrentes dela.


Com isso, foi anulada a ação penal em que o banqueiro Daniel Dantas, do grupo Opportunity, tinha sido condenado por corrupção ativa. O objetivo da operação Satiagraha, desencadeada em 2004, era apurar casos de corrupção, desvio de verbas públicas e crimes financeiros.


NOTA DA MARI:


PQP!! Informações sigilosas é o cacete. Mas que merda de país é esse que a gente vive? Que lixo de lei é essa que permite que evidências de um crime sejam consideradas "informações sigilosas"? Isso é eufemismo, na verdade deveriam chamar de provas cabais. Se eram informações sigilosas, que bom, sinal que a ABIM e a PF tem feito um belo serviço de investigação. 


E não quero ninguém postando comentários pra me explicar o porque isso faz sentido. A lei é papel e papel aceita tudo, é lindo, precisam ver as coisas que desenho nele.


Se nem o STF tinha uma opinião formada até hj, quem somos nós, meros mortais, para achar que sabemos alguma coisa. Não sei muito a cerca da legislação desse país, assumo. Mas ofato eu tenho desde que nasci e te digo...que isso cheira a esterco, isso cheira viu.


Alguém ai tem um Bom Ar?

Operação Proteção à Vida


Em meio à onda de violência que atinge ambientalistas da Amazônia, a presidente Dilma Rousseff ordenou o envio de uma equipe da Força Nacional ao Norte do Brasil para intensificar os esforços de combate à violência no campo. A ação é denominada Operação Proteção à Vida e desloca homens da Polícia Federal, Força Nacional de Segurança, Polícia Rodoviária Federal e das Forças Armadas, que se estendem pela região Norte do país a partir dessa terça-feira (7).

A decisão do envio de tropas foi tomada após reunião ocorrida na última sexta (3), em que Dilma se encontrou com ministros e governadores da região para discutir a questão. Na reunião, o governador do Pará, Simão Jatene (PSDB), reafirmou a necessidade de punir os criminosos do campo. Segundo Jatene, só dessa maneira será possível evitar o ambiente de impunidade que domina a região. “Não vamos reproduzir o passado e o ponto de partida deve ser a união de todos no enfrentamento à violência”, disse.

Violência
No dia 25 de maio foi enterrado o casal de ambientalistas assassinado após denunciar a extradição ilegal de madeira cometida por grandes madeireiros e latifundiários da Amazônia. José Claudio Ribeiro e Maria do Espírito Santo foram mortos no assentamento onde moravam, em Nova Ipixuna, sudeste do Pará. Os dois lideravam um projeto de extrativismo sustentável de castanha e de cupuaçu e denunciavam a retirada ilegal de madeira. Segundo parentes, os extrativistas vinham sendo ameaçados de morte há pelo menos seis anos.

"Ela falou para mim que as ameaças vinham de um grupo de fazendeiros, que era a parte mais interessada na morte dela", contou José Francisco Silva, filho da vítima, ao G1. Para completar o caso, o agricultor Erenilton Pereira dos Santos, 25, que supostamente teria testemunhado o assassinato, foi morto quatro dias após a morte do casal com um tiro na cabeça.

Em meio a um ambiente que mais parece filme de faroeste, o caso é mais um entre tantos na onda de violência no campo. De acordo com a Comissão Pastoral da Terra (CPT), cerca de 390 pessoas foram mortas em disputas por terras rurais, entre 2000 e 2010, na região da Floresta Amazônica.

Ao anunciar o assassinato na tribuna do Congresso, o deputado Sarney Filho (PV-MA) foi euforicamente vaiado pela bancada ruralista da Câmara. Em nota publicada pela revista Carta Capital, o deputado definiu o momento das vaias como "grotesco". De acordo com publicação da revista, nos últimos 25 anos, 1.614 pessoas foram mortas no Brasil em decorrência de conflitos entre latifundiários e ambientalistas. Até o momento, apenas 91 casos foram julgados, resultando na condenação de 21 mandantes e 72 assassinos, ou seja: para cada 17 pessoas assassinadas em todos esses anos, apenas um criminoso foi condenado pela Justiça.

A CPT divulgou, na última semana, uma lista com 1.855 nomes de ambientalistas e camponeses que sofreram algum tipo de ameaça nos últimos 10 anos. Destes, 207 receberam mais de uma ameaça e 42 foram assassinados. Apesar do risco, o Ministério da Justiça informou que não terá condições de oferecer proteção policial a todos, reservando a atenção apenas para os 30 ambientalistas que já sobreviveram a algum tipo de atentado.

Finally, some action...


O Senado acaba de instalar uma Comissão Parlamentar de Inquérito para investigar o tráfico nacional e internacional de pessoas no Brasil, em especial suas causas, consequências, rotas e responsáveis.
O tráfico de pessoas é um dos grandes problemas a serem enfrentados pelas autoridades em todo o mundo, não somente pelos métodos cruéis e pela complexidade do crime, mas pelo fato de afrontar diretamente a condição humana.
As vítimas, sejam elas mulheres, crianças, adolescentes ou homens, invariavelmente são transformadas em objetos e são privadas de liberdade, de autonomia e também de seus projetos de vida.
Trata-se de um drama de dimensão transnacional. O Brasil é um país de origem, de destino e de passagem para as rotas de tráfico internacional de pessoas. No âmbito nacional, a exploração é feita contra concidadãos. Esquemas criminosos são montados para alcançar pessoas em situação de vulnerabilidade com a finalidade de prestarem serviços forçados, de servidão, de exploração sexual ou para fins de remoção e circulação de órgãos e células humanas.
Para se viabilizar, o crime organizado globalizado apropria-se dos avanços tecnológicos, da ampliação dos fluxos migratórios, da miséria social, da vulnerabilidade das fronteiras e da precarização das relações de trabalho.
Ainda em 2001, o Brasil iniciou seu trajeto no combate a esse tipo de crime ao efetivar uma cooperação técnica internacional, assinada entre a Secretaria Nacional de Justiça e o Escritório das Nações Unidas contra Drogas e Crime.
A ratificação do Protocolo de Palermo, instrumento internacional de combate a esse crime, cuidou da inclusão e da previsão de ações e políticas públicas focadas em três eixos: a prevenção, a repressão e a proteção às vítimas.
Uma Política Nacional e um Plano Nacional de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas estão vigentes e têm exigido uma ação integrada entre os ministérios da Justiça, da Saúde, do Trabalho e Emprego e as secretarias de Direitos Humanos e de Proteção à Mulher.
Recentemente, firmou-se um protocolo para ações prioritárias e conjuntas entre os ministros da Justiça do Brasil, da Argentina, da Espanha e de Portugal, que já estão sendo implementadas.
Ainda assim, a barbárie se expande. Estimativas globais da ONU indicam que, a cada ano, cerca de 30 bilhões de dólares são movimentados e que mais de 2 milhões de pessoas são traficadas. Dessas, metade tem menos de 18 anos e 80% são exploradas sexualmente. Por esses motivos, a iniciativa do Senado é muito bem-vinda.
Neste momento, em ambiente investigativo republicano, a CPI é uma oportunidade privilegiada para gerar a necessária visibilidade a uma das piores lesões contra a humanidade, para alertar a sociedade e para ampliar reformas legais e o aperfeiçoamento das atuais políticas públicas de enfrentamento ao tráfico de pessoas.
Fonte: Folha de S.Paulo
NOTA DA MARI:
Atroz é a palavra que encontro para descrever esse tipo de ação. Esse tipo de crime deveria ter pena de tortura. 
Sinceramente gente, rezo para nunca encontrar um deses seres perversos. Acho que abriria mão de todos os meus princípios morais e humanistas e quebraria a cara dele, ou dela.
Solta os Comandos neles, ou o COT.

06 junho 2011

Conversa fiada...



Diálogo MEGA "inédito" entre minha pessoa e mais um boçal.

- Acorda menina...a PF ta falida. Não tem efetivo, não tem arma, não tem gasolina, não tem apoio do governo, não tem nada. Ninguém se importa com as fronteiras, os play boys continuam usando drogas, com ou sem liberação. Você ta caçando jeito é de morrer no meio do mato, isso sim.

Pois é...não sei se vcs sabem, mas segunda é dia de passar a ferradura no esmeril. Sem perder a classe, como diz uma amiga minha "a Mari não da coice, ela joga a ferradura", eu respondi:

- É...de certo modo vc tem razão, isso tudo é importante levar em consideração. Mas tem uma coisa que vc esqueceu!
- Ah é, o que?
FODA-SE! APESAR DISSO, EU QUERO E VOU SER! 

Fim do diálogo!! Adoro finais felizes rsrsrsr.

Dica de Filme


Data de Estréia: 03/06/2011
Gênero: Documentário
País de origem: Brasil
Tempo de duração: 74 minutos

Sinopse: No documentário Quebrando o Tabu, há 40 anos os Estados Unidos levaram o mundo a declarar guerra às drogas, numa cruzada por um mundo livre de drogas. Porém, os danos causados só cresceram. Abusos, informações equivocadas, epidemias, violência e o fortalecimento de redes criminosas são os resultados da guerar perdida numa escala global. Num mosaico costurado por Fernando Henrique Cardoso, o documentário escuta vozes das realidades mais diversas do mundo em busca de soluções, princípios e conclusões.

02 junho 2011

Ministro da Defesa admite que as Fronteiras são Frágeis


O ministro da Defesa, Nelson Jobim, disse à BBC Brasil que é necessário "fazer alguns ajustes na fronteira" do Brasil com Colômbia, Bolívia e Peru para combater a entrada do tráfico de drogas no território brasileiro.
As declarações de Jobim foram feitas durante sua viagem à Buenos Aires, na última semana, para participar da inauguração do CEED (Centro de Estudos Estratégicos de Defesa), do União Sul-Americana de Nações (Conselho de Defesa da Unasul).
Segundo o ministro, os traficantes de drogas têm utilizado com mais frequência os rios e estradas que ligam o Brasil a seus vizinhos no continente.
 - Eles têm usado mais a ligação fluvial do que as pistas clandestinas de avião.
Jobim viajará no dia 24 de junho para a Colômbia, junto com o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, para reuniões com autoridades colombianas em que serão definidas "operações conjuntas" na fronteira entre os países.
 - Precisamos ampliar nossa área de combate ao tráfico de drogas e aumentar a vigilância da Cabeça do Cachorro para baixo.
A região conhecida como Cabeça do Cachorro fica no Estado do Amazonas, na fronteira com a Colômbia.

Ações coordenadas
O ministro disse ainda que, do lado brasileiro, as ações serão coordenadas entre o Exército, a Força Nacional, a Polícia Federal e a Policia Rodoviária Federal.
 - Na Colômbia, o combate ao tráfico faz parte dos trabalhos do Exército. E nós vamos atuar conjuntamente.
Ele destacou que, do encontro, sairá um "modelo de ação" que o Brasil vai propor também às autoridades da Bolívia e do Peru, em reuniões que ainda serão agendadas.
 - No caso da Bolívia e do Peru, atuaremos, principalmente, com a Polícia Federal.
De acordo com Jobim, o número dos pelotões no lado brasileiro das fronteiras será ampliado de 24 para 49 nos próximos meses. Cada pelotão tem pelo menos 90 soldados.
 Segundo dados recentes da Polícia Federal, a entrada da cocaína boliviana aumentou no Brasil.
 - O Brasil passou a ser corredor da cocaína boliviana, que é definida pelos especialistas como de péssima qualidade. Esse assunto virou questão de polícia e de saúde pública também.
Em uma palestra recente em Bogotá, o professor Alejandro Gavíria, da Faculdade de Economia da Universidade De los Andes, disse que a produção de cocaína está caindo na Colômbia, mas que o país voltou a ser "passagem" da droga dos países vizinhos para outros países.
 - Na guerra contra o narcotráfico, a vitória nunca é definitiva. A produção da folha da coca voltou a ser intensificada na Bolívia e no Peru e caiu na Colômbia. Mas a Colômbia voltou a ser terreno forte para o trafico.
Gavíria afirmou ainda que a logística do tráfico ficou mais sofisticada nos últimos tempos. A prova disso foi a apreensão de um submarino que levaria cocaína para o México.
 - Se nós, latinos, não assumirmos esse problema conjuntamente, será muito difícil.
Colômbia e Peru são considerados pela ONU (Organização das Nações Unidas) como os dois maiores produtores de cocaína do mundo com, respectivamente, 410 toneladas e 300 toneladas produzidas em 2010.
Fonte: R7

01 junho 2011

Enquanto isso, na fronteira...



Equipe da PF em missão há mais de 15 dias na cola de um traficante, daqueles bons de tráfico. 
O moço esquiva daqui, esquiva dali. Até remover o rastreador do carro dele ele conseguiu.
E pula de cidade em cidade atrás do meliante, coletando novidades para a missão.
Enfim...após dias de investigações e vigilância, uma noticia. Um avião de pasta base de coca está vindo da Bolívia nos próximos 2 dias. Mas ninguém sabe ao certo onde ele vai pousar.
O comandante da operação faz uma telefonema para a FAB (Força Aérea Brasileira). Resumindo a conversa:


(PF) - Alô! Estamos com uma denuncia de uma avião que irá entrar nosso espaço aéreo com drogas. Gostaria de solicitar que você rastreassem esse avião, de modo a fazermos a prisão em flagrante.
(FAB) - Sinto muito senhor, estamos sem verba. 
(PF) - Não precisam participar da prisão. A equipe da PF está pronta para fazer a emboscada. Só precisamos que façam o rastreamento da aeronave para que possamos saber o local exato do pouso.
(FAB) - Não é possível fazer senhor.
(PF) - Mas a aeronave estará invadindo o espaço aéreo brasileiro. É só olhar para o radar e me ligar.
(FAB) - Sinto muito, mas não podemos! Tu, tu, tu, tu..


(PF) - Pois é pessoal. Vamos embora pra casa.


:(