26 setembro 2010

Lições

Todos os dias das nossas vidas fazemos escolhas e para cada escolha que fazemos existem as conseqüências.
Closing time, open all the doors
And let you out into the world
Closing time, turn all of the lights on
Over every boy and every girl
Closing time, one last call for alcohol
So finish your whiskey or beer
Closing time, you don’t have to go home
But you can’t stay here
Fiz diversas escolhas ao longo da vida, mas essa deve ter sido uma das mais difíceis de todas...
I know who I want to take me home
I know who I want to take me home
I know who I want to take me home
Take me home
E quem foi que disse que todas as escolhas seriam simples e indolores...
Closing time, time for you to go out
To the places you will be from
Closing time, this room won’t be open
Till your brothers or your sisters come
So gather up your jackets, move into the exits
I hope you have found a friend
Closing time, every new beginning
Comes from some other beginning’s end
Não sei ainda qual o tamanho da ferida que deixei exposta. Deixo a resposta para o tempo...
I know who I want to take me home
I know who I want to take me home
I know who I want to take me home
Take me home
A vida nos prega peças e os nossos anseios nem sempre caminham juntos dos nossos desejos, e para isso também existe o tempo...
Closing time, time for you to go out
To the places you will be from
I know who I want to take me home
I know who I want to take me home
I know who I want to take me home
Take me home
Aquilo que amo deixo ir. Se não voltar é por que nunca me pertenceu.
Closing time, every new beginning
Comes from some other beginning’s end

Aprender é sempre necessário e com o tempo percebemos que a dor  não é facultativa. A cada nova queda aprendemos, e com isso evoluímos. 
As quedas de grandes alturas são as que mais doem, mas são elas que nos ensinam a voar.

20 setembro 2010

Polícia Federal Resgata Aves Silvestres do Tráfico


A Polícia Federal resgatou, na tarde desta sexta-feira, 57 aves no pátio de uma casa do bairro Áreas Verdes, periferia de Uruguaiana (SC), na Fronteira com o Uruguai. A maioria as aves eram filhotes de papagaio e arara. Os moradores não tinham licença do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis - IBAMA para criá-los. 

Os animais foram descobertos por meio de denúncia anônima. A suspeita da polícia é de que as aves estavam em Uruguaiana aguardando para serem contrabandeados para países vizinhos, como a Argentina.

O delegado Fabrício Padilha afirma que, em virtude da pena prevista para o delito, não houve a realização de prisão em flagrante, mas o fato será apurado. As aves foram encaminhadas ao IBAMA para custódia e elaboração de exame pericial para a perfeita identificação das espécies.

15 setembro 2010

O ‘Pentágono’ carioca

A Empresa estadual de Obras Públicas (Emop) iniciou este mês a construção daquele que promete ser o coração de todo o atendimento de emergência no Rio: o Centro Integrado de Comando e Controle (CICC). O prédio, com térreo e três andares, ficará na Rua Benedito Hipólito, paralela à Avenida Presidente Vargas, na Cidade Nova, e contará com representantes de oito órgãos das três esferas de governo.


Além de tele-atendimentos como o da Polícia Militar (190) e o do Corpo de Bombeiros (193), o espaço ainda terá um andar reservado somente para gestão de crises ou de grandes eventos.
A previsão é que as obras, orçadas em R$ 36 milhões, sejam concluídas em oito meses.
Teremos duas funções distintas que se complementam no mesmo espaço: a gestão do dia a dia da cidade, que acontecerá 24 horas por dia nos sete dias da semana, e a gestão de crises e de grandes eventos, que acontecerá periodicamente.
Será como um grande condomínio, reunindo órgãos que terão a sua autonomia, mas poderão se comunicar mais facilmente. Acredito que o primeiro grande evento para o CICC deva ser o réveillon de 2011 para 2012 — afirmou o subsecretário de Modernização Tecnológica da Secretaria de Segurança Pública, Edval Novaes.

De acordo com o presidente da Emop, Ícaro Moreno, as primeiras fundações do prédio começarão a ser construídas no mês que vem. Para chegar ao modelo do Centro Integrado de Comando e Controle do Rio, técnicos da Secretaria de Segurança visitaram oito cidades: Nova York, Los Angeles, Washington, Madri, Londres, Cidade do México, Roma e Istambul.
Pinçamos algumas características dos centros dessas cidades.

De Madri, por exemplo, trouxemos o conceito de ter um andar somente para os equipamentos de informática, com temperatura controlada e controle de acesso rigoroso. Os nossos atendentes só terão um mouse, o monitor e o teclado. Toda a manutenção poderá ser feita à distância.

De Istambul e também de Madri, trouxemos a ideia de uma sala de crise com uma das paredes de vidro, o que possibilitará às autoridades uma visão ampla de tudo que está acontecendo no CICC — complementou Edval Novaes.

 No primeiro andar, ficará toda a parte de informática. O segundo pavimento será o coração do CICC.

De acordo com Novaes, a PM vai transferir para lá todo o atendimento do número 190 na Região Metropolitana. A atual base de serviço, no entanto, não será completamente desativada. Além de atender a municípios do interior, também poderá ser usada como alternativa, caso haja necessidade. Já a PRF transferirá a central de chamadas de todo o estado para o CICC, assim como deve acontecer com o Samu. O Corpo de Bombeiros ainda decidirá a extensão do serviço que passará para o centro.
Ao todo, no segundo pavimento, serão colocadas 375 baias. Dessas, 261 estão reservadas para o tele-atendimento.

O restante servirá para que os funcionários possam fazer o monitoramento de câmeras espalhadas pela cidade e por todo o estado.
Todos os órgãos presentes poderão ter acesso a imagens geradas pelos outros, além, por exemplo, daquelas geradas por concessionárias de rodovias. Haverá uma área chamada de descompressão, para que funcionários possam descansar.
Também foram planejados uma cozinha e um refeitório, além de um gabinete médico.
No terceiro andar, funcionará o centro nervoso do Rio no caso de um grande evento ou de catástrofes.

Caso já estivesse pronto, o CICC poderia ter sido o local de concentração de autoridades, por exemplo, durante a enchente que castigou a cidade em abril. Haverá uma sala de reunião para autoridades, com um telão que passará informações em tempo real. Dessa sala, graças a uma parede de vidro, será possível ter uma visão ampla do centro e de outro grande telão de informações, que terá 18 metros de comprimento por cinco de largura.

Também no terceiro andar, haverá uma sala com 70 lugares, voltada para os principais assessores das autoridades envolvidas no evento ou na gestão de crise. Haverá ainda uma sala reservada para a autoridade de mais alto escalão presente e uma área para o setor de inteligência. O mesmo andar terá um pequeno refeitório e um alojamento, com quatro quartos, caso haja a necessidade de se dormir no local para auxiliar nos trabalhos durante uma situação de emergência. No último andar do CICC, será instalado um heliporto.
 Além da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros, estarão presentes no novo centro a Guarda Municipal, a Defesa Civil municipal, a CET-Rio, a Polícia Civil, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e a Polícia Rodoviária Federal (PRF). A área total construída será de dez mil metros quadrados.

Haverá estacionamento, com capacidade para 120 vagas, e um auditório para cem pessoas
O projeto do CICC é uma parceria entre o governo estadual e o Tribunal de Justiça do Rio, contando com recursos do Fundo da Justiça. De acordo com o subsecretário Edval Novaes, o conceito desse tipo de centro de controle não chega a ser novo no Brasil: — Um dos mais antigos e bem-sucedidos do país é o de Fortaleza, no Ceará, que tem mais de dez anos e reúne uma quantidade grande de órgãos. Além disso, temos outros exemplos, como no Espírito Santo e em Brasília.

As viagens para a criação do conceito aplicado no Rio começaram em 2007. De Madri, também veio a inspiração de conceber o próprio software de atendimento que será usado no CICC. Dos Estados Unidos, os técnicos trouxeram o conceito do Sistema de Comando de Incidentes, padrão de planejamento que já é aplicado pelo Corpo de Bombeiros e que passará a ser usado também pelos órgãos de segurança envolvidos.

Fonte: O Globo

NOTA DA MARI:

Mais um ponto para o Sr. Secretário da Segurança  do Rio de Janeiro. 
Quem diria! Então era essa a receita para reduzir a criminalidade no Rio: Uma Olimpíada, uma Copa e um ex-Policia Federal com pulso de Ferro no comando da secretaria de segurança pública. 

No dia 8 de outubro, quando estiverem assistindo a estréia do "Tropa de Elite 2", lembrem-se que é dele, José Beltrame, que estão falando. Apesar de ter outro nome na narrativa Ele é o personagem principal do filme. Foi ele quem deu o empurrão que o BOPE, a PM, a Civil e a PF precisavam para tomar o poder e os QG's do tráfico. Juntos eles botaram, botam e botarão a bandidagem pra correr. 

Eu sujiro: Marina para Presidente, Protógenes para Vice e José Beltrame para Ministro da Justiça...ai eu quero ver o corre, corre da malandragem. 
Até o pilantra tucano "former" governador de Minas, que é chegado nas "Neves" vai botar o rabinho entre as pernas...ou melhor dizendo...o nariz! Rsrsrsrs

Leitura Obrigatória - Divulgando



Meus amigos,
Depois de alguma relutância, eis aqui o resultado final de alguns momentos, nos quais procurei passar para todos, aspirantes a policiais, colegas, ou simplesmente admiradores da instituição, um pouco da realidade deste Departamento de Polícia Federal, que já é minha casa há mais de 14 anos.
"Federal, uma história de polícia" reúne situações características do nosso cotidiano, algumas vezes terrível, outras tantas hilário. O lançamento nacional ocorrerá em 9 de Novembro, aqui no Rio de Janeiro. Mas hoje, exatamente hoje, 14 de Setembro, um dia após eu ter entrado na idade do Lobo, inicio a pré-venda do livro.
Aqueles que se interessarem devem entrar em contato comigo através do e-mail misanthay@yahoo.com.br . Desde já agradeço o interesse e a força de todos vocês.
Grande abraço!
Sandro Araújo.

O concurso é para POLICIA





Mais um que se sente como eu, mas expôs de modo bem mais cru a realidade da POLICIA Federal.


Post by: ANIMUS NECANDI

Segue meu recado aos candidatos, seja para qual cargo for: nunca esqueçam que o concurso para o qual estarão prestando é para POLICIA.

Vejo discussões sobre carreiras, sobre experts, sobre atividades jurídicas, sobre operações, etc... etc... Tudo isto é valido? Claro que sim. São discuções sadias, por vezes é claro, que nos fazem refletir. 
Mas é importante não nos esquecermos, e vou ser repetitivo, que mesmo na ultra mega hiper Policia Federal, com todos os meios possíveis e impossíveis, ingressarão em um órgão que vai repreender o crime. 
Não importa se é EPF, APF, PPF, PCF ou DPF, vai estar armado e quando escutar tiros, enquanto todos vão correr na direção contraria a eles você vai fazer o oposto.
Amanhã sei que muitos virão aqui e bradarão coragem, disposição, empenho, etc... etc... Sei que existem realmente vocacionados, e esta mensagem não é de forma alguma algo para desestimulá-los, muito pelo contrario. 
Até mesmo para estes gostaria de sugerir uma reflexão. Brincadeira de mocinho e bandido é uma coisa. Aqueles que já foram militares das FA, as operações que por lá existiam tinham inimigos de mentira.
No mundo real os inimigos, ou melhor os cidadãos que se desvirtuam da lei, as vezes com muito mais direitos que você, são de verdade. Os tiros que eles dão também, e podem ter certeza que não é como na TV.
Quando se coloca um colete, há briga por uma arma longa, pois não tem pra todo mundo (obvio), entra-se em uma viatura que vai ter que sair em alta velocidade, as orações são para não morrer antes de chegar ao local onde PMs estão levando tiros de fuzil 7,62; podem ter certeza que o mais corajoso vai sentir aquele frio na barriga. Acho que se chama medo. Por um segundo vai pensar: p... esse meu colete não vai segurar essa m... de fuzil. 
Ai vem o meu lembrete: nessa hora não esqueça que é POLICIA.
Podem ter certeza, quando tiverem que entrar em um mato atrás dos caras vocês não vão querer estar ali. Quando escutarem os tiros, não vão querer estar ali. Mas alguém tem que estar. E este alguém é quem: POLICIA. 
Alguns vão dizer, isso não é serviço para nós, o caso era da PM, da civil. Eu vos digo, quando os mocinhos estão levando tiros de verdade, eles vão pedir ajuda para qualquer um. E qual mesmo é a profissão que escolheram? 
Com o tempo muitos colegas vão se esquecer disto. Muitos hj acham lindo vários equipamentos, fuzil HK na mão com aquele carregador transparente. Show, sai bonito na foto, homens de preto. 
Mas não se permitam esquecer: bonitos ou feios são POLICIA. Toda aquela parafernália, incluindo o fuzil não são para bonito. 
Na rua, no mercado, em casa, vai ser policia. É para você que os vizinhos vão gritar. Quando prestar depoimento em juízo, é para você que vai todo o carinho e todos os olhares do traficante, do contrabandista, do corrupto, do assaltante a banco, do homicida. E quando isto ocorrer vai sentar lá na frente do juiz e lembrar de novo onde trabalha, e vai tentar provar pro cara que aquele individuo tem que ficar preso, o que muitas vezes não ocorre.
Isto vai acontecer com peritos, delegados, escrivães, agentes, papís, e não tem como fugir. 
Vai trabalhar no passaporte, na informática, beleza. Até você um dia vai estar convocado para uma operação no Rio de Janeiro, as três da manha, viatura discreta todo de preto na linha vermelha, e se der uma m... não esqueça: não adianta chamar a policia pois você é a POLICIA. 

14 setembro 2010

Boquinha de Urna

Dia 19/06 o PC do B lançou 10 candidatos a deputado federal e estadual em São Paulo. Dentre eles, Protógenes Queiroz  6588 (candidato a deputado federal).
 Protógenes é delegado da Polícia Federal. Foi quem efetuou a prisão de Paulo Maluf, do contrabandista Law Kin Chong, de Naji Nahas e do ex-prefeito de São Paulo Celso Pitta. Estiveram sob sua coordenação, em parceria com a Promotoria de São Paulo, as investigações do caso Corinthians/MSI, por evasão de divisas e lavagem de dinheiro, e a do Banestado (PR). Foi o responsável pela Operação Satyagraha, deflagrada em 8 de julho de 2008, que prendeu, entre outros, o banqueiro Daniel Dantas, do grupo Opportunity.
Várias operações por ele coordenadas resultaram em prisões de muitos envolvidos em desvio de dinheiro público e no retorno de bilhões aos cofres públicos.
 Penso que chegou o momento de construir uma verdadeira nação em que o dinheiro dos nossos impostos seja realmente aplicado para atender as demandas de Educação, Saúde, Habitação, Saneamento, Transporte, Emprego e Renda, Segurança e Alimentação. Vivemos o desafio de construir uma nação com justiça social, em que a vida seja sustentável em todas as instâncias.
 Precisamos, então, eleger parlamentares que exerçam seu mandato buscando a transformação. Que sejam éticos e responsáveis.
 Tenho acompanhado  a trajetória de Protógenes. Por isso, acredito que será um representante em quem podemos confiar, com quem poderemos dialogar e aprender a construir juntos o país que queremos.
 Assim, peço que dêem o seu voto a ele, candidato a Deputado Federal, número 6588

13 setembro 2010

Policia Nacional do Haiti faz Curso na ANP

A Polícia Federal em parceria com a Agência Brasileira de Cooperação do Ministério das Relações Exteriores realizaram, no mês de agosto de 2010, o II Curso de Formação de Multiplicadores - Armamento e Tiro para os policiais da Policia Nacional do Haiti - PNH.
O curso teve como objetivo a formação de Instrutores de Armamento e Tiro da Academia de Policia Haitiana e contou também, com 5 militares da MINUSTAH – Missão das Nações Unidas para a reconstrução do Haiti, representado pelos militares do Exército Brasileiro.
A Polícia Federal, que realizou no ano passado o Curso de Abordagem, está se preparando para promover o Curso de Defesa Pessoal Policial ainda antes do término deste ano. Com esses três cursos a PF completará o pacote mínimo de disciplinas do ciclo operacional de formação policial.
O Curso de Armamento e Tiro foi desenvolvido pelos professores do SAT/ANP, que abordaram todas as classes de armas, como: revólveres, pistolas, submetralhadoras, fuzis e espingardas, além da doutrina utilizada hoje na Polícia Federal.
Dos vinte e cinco policiais haitianos matriculados no curso, dezenove obtiveram êxito nas provas finais de tiro e, assim, tornaram-se multiplicadores desta disciplina na escola de polícia do Haiti.
E, participarão do processo de formação dos novos setecentos policiais, que se inicia neste mês de setembro.
Foi também destaque, o apoio do Exército Brasileiro cedendo instalações para hospedagem e oferecendo segurança para as aulas e para os deslocamentos até a ANP.
O curso recebeu também ilustres visitas, como a do Embaixador do Brasil, a do General PAUL CRUZ,  Force Commander da Missão de Paz  da ONU no Haiti, que acompanhou algumas aulas e elogiou a organização, as técnicas e principalmente o profissionalismo da equipe, comprometendo-se em informar ao Conselho da ONU.
Fonte: Agência Fenapef

Estatísticas Federais

Estudo apresentado no 7º Encontro da Associação Brasileira de Ciência Política, em agosto, aponta que a corrupção é o crime mais combatido pelas operações da Polícia Federal (PF). O autor da pesquisa, Rogério Arantes, professor de ciência política da USP, analisou 600 ações da PF realizadas entre 2003 e 2008. O trabalho demonstra que a corrupção pública é alvo de 22,7%. Segundo o pesquisador, boa parte dos crimes são cometidos nos "balcões de serviços", na ponta mais próxima do cidadão. "O meu estudo chama a atenção para essa corrupção mais periférica, descentralizada", afirma. As informações são do jornal Folha de S.Paulo.
Em segundo lugar no ranking das operações da PF aparece o tráfico de drogas (15,2%) e, em terceiro, os crimes de contrabando e descaminho (9,8%). O estudo mostra que as operações da prendem principalmente funcionários públicos que atuam na ponta do sistema. Os servidores federais, como os funcionários da Receita Federal e do INSS, estavam envolvidos em 34% das operações que resultaram na prisão de agentes públicos (de um total de 238 nas quais foi possível identificar o agente preso). Depois vêm policiais civis e militares (22,3%) e, em terceiro lugar, servidores públicos estaduais (12,6%). A primeira categoria de políticos aparece em sexto lugar: prefeitos (3,8% das operações).

Fonte: Terra
Dica: Manuel RL

12 setembro 2010

OPERAÇÃO MÃOS LIMPAS

A Polícia Federal prendeu ontem o governador do Amapá, Pedro Paulo Dias (PP), o ex-governador Waldez Góes (PDT) e 16 empresários, servidores públicos e políticos, acusados de desviar R$300 milhões em recursos das áreas de: educação, saúde, assistência social, entre outras. Na operação Mãos Limpas, a PF também obteve autorização judicial para conduzir à força para depor o presidente da Assembléia Legislativa, Jorge Amanajás (PSDB), o prefeito de Macapá, Roberto Góes (PDT), e 85 suspeitos de envolvimentos com corrupção, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha, entre outros crimes.

Entre os presos estão o presidente do Tribunal de Contas do Amapá (TCE-AP), José Júlio de Miranda Coelho; o secretário de Segurança, Aldo Alves Ferreira, delegado da PF; a ex-primeira-dama Marília Brito Xavier (mulher de Waldez); e Ruy Santos Carvalho, chefe da Superintendência de Agricultura, vinculada ao Ministério da Agricultura.






Depois das prisões, o presidente do Tribunal de Justiça do Amapá, desembargador Dôglas Evangelista Ramos, de 67 anos, assumiu o governo do estado. A operação deverá ter forte impacto na corrida eleitoral. Os principais candidatos majoritários foram atingidos pelas investigações. O governador Pedro Paulo Dias concorre à reeleição, assim como o presidente da Assembleia. O ex-governador Waldez Góes, que deixou o cargo em abril para disputar o Senado, lidera as pesquisas.

Na noite de ontem, os acusados foram levados a Brasília onde devem ficar presos ao menos até quarta-feira, quando expira o prazo da prisão temporária decretada pelo ministro João Otávio de Noronha, que preside o inquérito sigiloso no Superior Tribunal de Justiça. O governador e o presidente do TCE, que têm foro privilegiado, vão ficar em sala de Estado Maior na Superintendência da PF. São as mesmas instalações que abrigaram o ex-governador do Distrito Federal José Roberto Arruda.



Durante as investigações, foi constatado que a maioria dos contratos administrativos firmados pela Secretaria de Educação não respeitavam as formalidades legais e beneficiavam empresas previamente selecionadas.


Apenas uma empresa de segurança e vigilância privada manteve contrato emergencial por três anos com a Secretaria de Educação, com fatura mensal superior a R$ 2,5 milhões, e com evidências de que parte do valor retornava, sob forma de propina, aos envolvidos. . Levantamento da CGU mostra que, em 2009 e 2010, os órgãos atingidos pelas fraudes receberam R$800 milhões da União


Durante as investigações, constatou-se que o mesmo esquema era aplicado em outros órgãos públicos. Segundo a PF, foram identificados desvios de recursos no Tribunal de Contas do Estado do Amapá, na Assembleia Legislativa, na Prefeitura de Macapá, nas Secretarias de Estado de Justiça e Segurança Pública, de Saúde, de Inclusão e Mobilização Social, de Desporto e Lazer e no Instituto de Administração Penitenciária.


Além do Estado do Amapá, os mandados estão sendo cumpridos no Pará, Paraíba e São Paulo. Participam da ação 60 servidores da Receita Federal e 30 da Controladoria Geral da União.
Os envolvidos estão sendo investigados pelas práticas de crimes de corrupção ativa e passiva, peculato, advocacia administrativa, ocultação de bens e valores, lavagem de dinheiro, fraude em licitações, tráfico de influência e formação de quadrilha.

Fonte: O Globo com modificações.

NOTA DA MARI:

Não sei vocês, mas eu já me cansei dessa gente corrupta sair ilesa. Espero que esses daí passem um bom tempo pagando pelas escolhas erradas. E por favor, não me venham com desculpas esfarrapadas, pois o dia queo salário do governador do Amapá der pra comprar uma Ferrari, eu estou de mudança para lá.

10 setembro 2010

LOST


Mais notícias sobre um possível certame ao encher as salas e os bolsos dos cursinhos nesse final de ano. Alunos recém formados, outros, nem tanto, em busca da sonhada vaga na PF.

Para os que como eu, já estão se preparando já há algum tempo, essa é uma boa notícia e, fora a  taquicardia momentânea e a vontade de gritar, serviu para intensificar os treinos e estudar com mais afinco. Porém, tenho percebido algo que ainda não sei se me irrita, ou entristece. Perdoem minha ironia no texto que segue, mas ela é necessária para dar a devida vênia aos desinformados.

No Correio Web dessa quarta feira (8/9) havia a seguinte notícia (atrasada, diga-se de passagem). “A Policia Federal está elaborando pedido de concurso para provimento de vagas nos cargos de Delegado e Perito da Policia Federal e pretende enviar ao Planejamento, para ser autorizado até dezembro de 2010.

Dada a devida publicidade à informação, os cursinhos começaram suas campanhas de vendas e elaboração de conteúdos. Diante disso a notícia foi tomando maior notoriedade e, conseqüentemente, chegou aos mais desinformados.

Com isso, muitos “Zé ruelas” pelo Brasil a fora leram a notícia e foram tomados e uma grande empolgação,  seguida de um ímpeto repentino de se tornarem funcionários públicos. Uma pequena espiada no salário e pronto, a dedicação é total ao concurso. O infeliz já corre pro cursinho, faz a matricula e começa a estudar. Dedica horas do seu dia e várias cifras do seu salário aos estudos.

O problema é que depois de quase 3 meses de cursinho, o tal “Zé Ruela”, para meu desespero, DESCOBRE QUE PERITO TAMBÉM ANDA ARMADO e, pasme, ele fica indignado. “Para que andar armado gente...", o infeliz pergunta E COMPLETA, "...nós não vamos pegar bandido...” Quase chorei gente, juro.

Não é de hoje que ouço coisas do tipo “É verdade que tem teste físico na Policia Federal?”. Comentário este, seguido da máxima: “Não sei para que pular e nadar, eu não vou correr atrás de bandido”. Outra famosa: “Ah não! Eu não vou morar na Amazônia não, vou fazer concurso pra cá mesmo”

Se esses infelizes tivessem a menor noção do que estão fazendo, ou melhor, do que vão fazer, tenho certeza que não estariam ali. Não é possível que alguém se propõem a fazer algo que sequer sabe o que é.

A Policia Federal é uma POLICIA. Quanto dinheiro e tempo as pessoas precisam perder pra entender isso? Alias... nada mais é que constatar o óbvio. Essas pessoas deveriam andar por ai com aquele adesivo " NÃO ME SIGA, TAMBÉM ESTOU PERDIDO".



Para os aspirantes a Peritos e Policias Federais, fica a dica:


·         Não trabalhamos SÓ no laboratório.
·         Vamos perder tempo precioso com nossa família, SIM.
·         Não trabalhamos SÓ com nossa área de formação.
·         Vamos sujar a roupa e as mãos de sangue alheio, SIM.
·         Não fazemos SÓ o que queremos.
·         Vamos acordar de madrugada para fazer perícia, SIM.
·         Não moramos SÓ nas capitais.
·         Vamos entrar em locais inóspitos para fazer perícia, SIM.
·         Não vamos descansar todos os feriados.
·         Vamos trabalhar muito, SIM.

E para as perguntas acima, as respostas sinceras:

·         É claro que andaremos armados. SEREMOS POLICIAS E POLICIAIS ANDAM ARMADOS. É prerrogativa da natureza policial do cargo.

·         É claro que tem teste físico. Você pode até não correr atrás de bandido, mas eles com certeza VÃO CORRER ATRÁS DE VOCÊ. Nesse caso, ainda bem que você TAMBÉM vai ter preparo físico e estar armado.

·         É claro que temos que ir para a Amazônia, Rondônia, Roraima, Acre e todos esses outros estados. Somos um órgão FEDERAL, por tanto queridos “Zé ruelas”, temos que ir onde o crime está. Onde mais se não na fronteira, na selva, na terra sem lei.
Por tanto, se alguma coisa aqui é novidade, sugiro que leia o edital, conheça o DPF, conheça o Cargo para o qual está estudando e repense sua escolha. 

Se essa não é a sua, vai fazer concurso pra RECEITA, IBAMA, ICMBIO, AGU, CGU, MPU, ou qualquer outra secretaria, ministério ou coisa do tipo. Seja lá como for, só, por favor, conscientize-se que O DPF NÃO É O SEU LUGAR. 

Ser policial federal, não é exercer um cargo ou ter uma profissão. Ser federal é VOCAÇÃO.

Se você é um dos que vibra ao ler isso...vai se preparando, O CONCURSO TAÍ, renove suas vacinas, e compre repelente.... a Amazônia PRECISA DE FEDERAIS E A SUA VAGA TE ESPERA.



Sobrevivência no Combate ao Crime - Parte 1

O policial recém saído dos bancos acadêmicos encontra, com certeza, sérias dificuldades em seu dia a dia. O auxílio de policiais mais experientes é, sem dúvida, o remédio mais eficiente no combate a essas situações críticas. Porém, a principal atividade que poderá salvar sua vida nas ruas é o treinamento constante; treinamento físico, técnico e psicológico.
A rotina é a maior inimiga do policial e deve ser combatida diuturnamente. Um único momento de distração pode trazer conseqüências fatais e, para evitar isso, o policial deve encarar todas as ocorrências com a mesma atenção e profissionalismo.
A vibração com a carreira e a vontade de mostrar serviço são comuns a todos os recém formados e até mesmo aos policiais mais antigos, porém, durante sua atuação profissional, estes devem balancear o desejo pelo sucesso com muito bom senso. As ações burocráticas, de extrema importância para toda e qualquer força policial mundial, podem ser estudadas demoradamente e reavaliadas por diversas vezes. Já nas ações de rua, uma decisão muitas vezes deve ser tomada em questão de segundos, produzindo efeitos imediatos e envolvendo o risco direto de muitas vidas.
O exercício da profissão policial não pode ser levado como um mero emprego, mas sim como um sacerdócio, pois não são poucas às vezes em que o policial precisa abrir mão do convívio familiar, de horários e de fins-de-semana, para exercer com plenitude suas atribuições de defensor da sociedade, mesmo sabendo que nem sempre será reconhecido por seu trabalho.
Algumas preocupações e observações devem estar sempre presentes na mente de um bom policial, para que este logre êxito em sua profissão:
1) O policial não é um super-homem;
2) Jamais deve sair para as ruas sem antes checar sua arma, seu instrumento de trabalho;
3) Se, ao avaliar uma situação, um ato lhe parecer estúpido, mas este ato funciona, então não é um ato estúpido;
4) Durante uma troca de tiros, deve sempre se manter abrigado, não se tornando um alvo;
5) Nunca deve atirar desnecessariamente, pois isto poderá colocar a vida de terceiros e a missão em risco;
6) Não deve deixar uma arma carregada, se não houver necessidade, principalmente se se tratar de armas automáticas e espingardas calibre 12;
7) Deve sempre empregar seus conhecimentos e seu potencial em missões e durante todo o aprendizado, mas sendo sempre humilde para receber informações que podem lhe salvar a vida;
8 ) O bom policial precisa acreditar em todas as missões que lhe são confiadas, por mais simples que possa lhe parecer, ela pode tirar-lhe a vida;
9) O trabalho em equipe é sempre o melhor trabalho;
10) Se o inimigo está em seu campo de alcance, você também estará no dele;
11) Deve ser profissional, sempre respeitando a capacidade de ação do inimigo;
12) Não deve fazer ou tomar atitudes para as quais não foi preparado.

A Herança da Tormenta



O governo federal deu mais um passo para melhorar a segurança dos concursos públicos em todo o Brasil. A noticia é do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MP). Nesta sexta, em nota no site oficial, anunciou que, nos próximos dias, dará início a medidas que garantam segurança a todas as etapas dos certames, desde a autorização, até a nomeação dos aprovados. Entre elas destaca-se o envio de proposta ao Congresso Nacional com mudanças no modus operandi dos concursos.
Dentre elas podem ser destacadas:
•    Fixar, por meio de alteração no Decreto 6.944/09, um prazo maior entre a publicação do edital de concurso e a data de realização de prova, atualmente de 60 dias, objetivando uma melhor divulgação das seleções públicas e  mais tempo para os candidatos se repararem.
•    Editar Instrução Normativa com orientações para órgãos e entidades sobre procedimentos e critérios a serem seguidos na contratação da instituição organizadora do certame. A medida representaria mais rigor aos contratos administrativos,  com atenção para os cuidados relacionados à elaboração dos mesmos; identificação dos responsáveis  no âmbito dos órgãos e das instituições contratadas; exigência de fiscais designados para acompanhar os contratos em todas as etapas de implementação, entre outros aspectos.
•    Enviar proposta ao Congresso Nacional tornando crime para todos os envolvidos a fraude em concurso público e propondo a regulamentação da identificação papiloscópica do candidato.

•    Fazer constar em cláusulas contratuais exigências como a de treinamento de todos os envolvidos na realização do concurso público, do uso de equipamentos de segurança (câmeras de monitoramento, detectores de metal), de identificação da cadeia de custódia das provas, principalmente dos responsáveis pela guarda dos cadernos de provas nos dias que antecedem o certame, evitando a subcontratação para essa finalidade.
•    Editar Instrução Normativa com orientações sobre a necessidade de prever no edital número mínimo de questões, de incluir questões subjetivas (redação) e, além disso, de constar no edital a possibilidade de eliminação quando constatada estatisticamente a fraude. Orientação também para que seja feita a inclusão de análise estatística para subsidiar a identificação de indícios de irregularidades nos certames; para que seja proibida a saída dos cadernos de provas antes dos 15 minutos finais do período previsto, e para que seja formada uma equipe de inteligência para monitoramento e avaliação dos concursos.
•    Editar Instrução Normativa com orientação para que seja feita uma apuração mais rigorosa da identificação dos aprovados e da documentação por eles apresentada. A medida incluiria exigência de assinatura de declaração de veracidade das informações prestadas e verificação dos documentos no ato da posse.
•    Baixar norma para uniformizar procedimentos de segurança em todos os órgãos e entidades do Poder Executivo Federal.
•    Instituir uma Câmara Técnica, para acompanhamento dos concursos públicos, formada por integrantes do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, Controladoria Geral da União, Advocacia Geral da União, Tribunal de Contas da União, do Ministério Público e de órgãos do Poder Executivo Federal, supervisores de carreiras e cargos alvos do interesse maior dos fraudadores como Receita Federal do Brasil, Polícia Federal, Agências Reguladoras, Instituto Nacional do Seguro Social, entre outros.
Para o coordenador do Movimento pela Moralização dos Concursos Públicos (MMC) e diretor-presidente do Grancursos, José Wilson Granjeiro, as medidas propostas pelo Planejamento correspondem aos anseios dos candidatos em todo o país. No mês passado, o movimento participou do encaminhamento à Câmara dos Deputados do projeto de lei 7738/2010, do deputado federal Felipe Maia (DEM-RN), que prevê punição de dois a oito anos de prisão e multa para quem fraudar seleções. A expectativa é que o documento comece a ser apreciado pelas comissões da Casa somente após as eleições.
As soluções são resultado do grupo de trabalho instituído em junho, depois da deflagração da Operação Tormenta pela Polícia Federal desencadeada em junho, que resultou na eliminação de seis aprovados no concurso para Agente da própria corporação e na prisão de 12 integrantes de uma quadrilha. O grupo fraudava seleções públicas federais há pelo menos 16 anos.
Além de acessar questões do concurso da PF, a quadrilha conseguiu as provas do Exame da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), do concurso da Receita Federal (Auditor-Fiscal/1994) e diversas outras instituições. A PF identificou pelo menos 53 candidatos que tiveram acesso à prova de Agente Federal e 26 à da OAB.
Fonte: Correio Web

NOTA DA MARI:

Estava mesmo na hora que punir esses malandros. Imaginem, fraudar um concurso de instituições como a PF, a ABIN e a OAB deveria ser tema de filme de ficção científica.

Mas felizmente nossa Carta Magna é "rígida" mas nem tanto e permite essas alterações.

Só não gostei muito da idéia de prolongar o prazo entre o edital e o concurso. É bom para nós, mas é bom pro nosso concorrente também.  Mas querendo ao não, nós que já estamos sem finais de semana e feriado há um bom tempo, teremos mais preparo sempre.

Vamo que vamo!

09 setembro 2010

TSE usará programa da PF para investigar lavagem de dinheiro

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) assinou um acordo de parceria com o Ministério da Justiça e com a Polícia Federal para usar os programas de computador do Laboratório de Tecnologia Contra Lavagem de Dinheiro em prestações de contas de campanha suspeitas de irregularidade.
De acordo com o presidente do TSE, Ricardo Lewandowski, após passar por uma triagem no sistema do Tribunal, contas com indícios de crimes serão submetidas aos programas, que cruzam dados bancários e formam uma espécie de corrente do dinheiro.
Com o software é possível rastrear de onde veio o recurso de determinado doador de campanha, de onde veio o dinheiro que este doador doou e assim consecutivamente. “Um trabalho que nós levávamos meses com planilhas é feito em poucos segundos com o computador, identificando todo o movimento dos recursos até chegar à conta eleitoral”, explicou o Diretor-Geral da Polícia Federal, Luiz Fernando Corrêa.
Questionado sobre possibilidade de uso mais amplo da ferramenta, Lewandowski disse que dificuldades técnicas impedem que toda as contas de campanha sejam esmiuçadas com os softwares contra lavagem de dinheiro.
“Nós temos um sistema normal de controle. Se ele detectar algo usa-se o programa”, disse.
Ele também comentou que, no caso de um partido ou coligação pedir investigação de adversários usando o sistema, além da apresentação de indícios, o TSE terá que se manifestar sobre o tema.
“Se essa hipótese acontecer vai ser gerado um processo que é enviado ao plenário e ele decide passa ou não pelo programa”.
Fonte: Ultimo Segundo

03 setembro 2010

POSSIBILIDADE DE CONCURSO EM 12/2010





Ministro da Justiça, Luiz Paulo Barreto, em visita ao Rio de Janeiro na última quinta-feira, dia 26, o revelou que existe a expectativa de abertura de concurso para Delegado e Perito da Polícia Federal (PF) até dezembro deste ano. “esperamos que até o fim do ano seja autorizado um novo concurso para a polícia federal para delegados e peritos”, disse o titular da pasta a que o departamento é subordinado. Segundo Barreto, ainda não é possível informar sobre a oferta de vagas. “o número ainda não sabemos por que está sendo feito um cálculo técnico pela PF”.


O cargo de delegado tem como requisito o bacharelado em Direito, enquanto que a formação superior para se tornar perito do departamento deve ser em áreas específicas, a serem definidas. Nos dois casos é exigida ainda, a carteira de habilitação, na categoria B ou superior. Os vencimentos iniciais para ambos os cargos são de R$13.368,68.


No fim da tarde da última sexta-feira, dia 27, a diretoria de gestão de pessoal da PF, por meio da assessoria de imprensa do departamento, informou que o pedido do concurso está sendo elaborado e ainda será enviado ao ministério do planejamento. Alguns meses atrás, o Diretor Geral e a coordenação de recrutamento e seleção da PF, já haviam informado que “tem interesse em realizar concursos para o provimento de todos os cargos policial e administrativo”. Somente na área policial, a PF conta atualmente com cerca de 2.900 cargos vagos.


Entretanto, a coordenação preferiu demonstrar cautela ao informar sobre a previsão de novas seleções, dizendo que “não é possível afirmar” que haverá concurso, para quais cargos e nem para quantas vagas, já que tudo isso depende de autorização do Planejamento.


Por sua vez, o diretor de Gestão de Pessoal da PF, delegado Joaquim Mesquita, em diferentes oportunidades manifestou otimismo com relação à autorização dos pedidos de concursos, que já se encontram em análise no planejamento, para “papiloscopista” (100 vagas) e para “agente administrativo” (300 vagas). Inicialmente, Mesquita chegou a afirmar que a expectativa era de que as autorizações fossem concedidas e que os concursos fossem realizados AINDA ESSE ANO.


Durante a visita ao Rio, na última quinta, o ministro Luiz Paulo Barreto ressaltou ainda que há uma negociação permanente entre os ministérios da Justiça e do Planejamento para que a realização de concursos para a PF seja uma política constante.


Barreto afirmou que, nos últimos anos, o departamento contou com a ampliação do seu orçamento e do seu efetivo e que já existe um planejamento para que a recomposição do quadro se dê periodicamente. Temos um cronograma de recomposição do efetivo que vai permitir que de dois em dois anos haja um novo concurso.


O diretor de Gestão de Pessoal da PF, Joaquim Mesquita, já afirmou que espera poder contar com a permissão do planejamento para poder realizar o concurso tão logo seja possível. E mesmo que a seleção seja aberta até dezembro, conforme a expectativa inicial da PF, aqueles que estão próximos de concluir o ensino médio também poderão participar, pois a escolaridade só precisará ser comprovada no ato da posse, o que deve acontecer somente no ano que vem.


A última seleção realizada pela PF para a sua área de apoio aconteceu em 2004. Caso a corporação utilize o mesmo modelo de seleção daquela oportunidade, os candidatos a agente administrativo serão submetidos exclusivamente a provas objetivas, de Conhecimentos Gerais e de Conhecimentos Específicos.


O ministro da Justiça Luiz Paulo Barreto informou na última quinta, dia 26, que a pasta está negociando com o Planejamento também com relação a concurso para o quadro de da PF. Ele destacou a importância da área administrativa para liberar o policial de atividades burocráticas. “ela maximiza a aplicação da força policial como um todo. ela é importante e vai ser mantida no mesmo cronograma que o dos policiais”, disse Barreto, referindo-se a programação que, segundo ele, permitirá concursos a cada dois anos na PF.


a maior demanda é por “agentes”, como já admitiu o diretor de gestão de pessoal, Joaquim mesquita. Atualmente, há mais de 1.400 vagas no cargo. No caso de escrivão, são cerca de 700 cargos vagos. Ambos os cargos tem como requisito básico, o ensino superior completo em qualquer área e a carteira de habilitação na categoria b ou superior.


A validade dos últimos concursos para agente e escrivão da PF foi de apenas um mês e expirou no dia 29 de julho. Conforme informação da Divisão de Comunicação Social da PF não há intervalo mínimo de tempo para que a PF possa abrir novo concurso para cargo cuja validade da seleção anterior tenha sido encerrada.


Fonte: Folha Dirigida – (31/08/2010).