20 janeiro 2016

Operações Especiais!


Calma! Dessa vez não vou falar de nenhum grupo tático especial, não.

Vim aqui pra falar desse filme nacional, que retrata, de uma forma extremamente coerente, um problema antigo da polícia de bem nesse país.

O filme "Operações Especiais",  se passa em uma cidade no interior do Rio de Janeiro. Retrata uma mulher (Cleo Pires) que se torna policial civil e, após apenas 3 mês de corporação, é escalada para uma missão. A equipe é liderada por um delegado honesto e que opera como manda o figurino. A equipe começa a limpar a casa e se depara com um sistema nada colaborativo e lícito.

O filme mostra, ao mesmo tempo, o despreparo com o qual os policiais novos entram no mundo do combate e mostra as dificuldades que uma polícia honesta encontra ao combater o sistema criminal nesse país.

Penso que no Brasil, o que mais se alega na hora da prisão das pessoas é o critério da valoração paralela na esfera do profano. Porque, certos crimes cometidos no nosso país, são tão arraigados na nossa cultura, que muita gente nem sabe mais se são atos ilícitos, ou não. Ou então, o ato ilícito é tão comum que a maioria se esquece que é ilegal.

O filme mostra isso muito bem, mas, ao mesmo tempo mostra o dolo nas ações mais simples, a corrupção, a participação social na manutenção da criminalidade e a "inconveniência" que a honestidade policial e judicial gera para a vidinha pacata dessa cidade.

O delegado fala numa cena algo tipo: "todos querem uma polícia honesta, mas quer cumprir o Código Penal do início ao fim". Há uns anos atrás, no documentário "Notícias de uma Guerra Particular" do GNT, o delegado da Polícia Civil Dr. Hélio Luz fala algo muito semelhante e o documentário retrata justamente essa face do cumprimento da lei.

É simples, sem muitas cenas de ação como nos filmes americanos, mas vai por mim, vale a reflexão!

Abçs!







5 comentários:

  1. Vi agora!
    kkk

    Duas vezes, inclusive!

    Um filmaço!!!

    E a Cleo Pires está muito bem!

    Adorei uma cena em que ela vai levando direitinho o fuzil, muito melhor do que muitos atores e atrizes americanos que matam a gente de vergonha...

    Mostra muito bem o amadurecimento de uma policial novata, as pressões da profissão.

    E eu passaria aqui o dia inteiro pra falar desse filme, lindona.

    Postagem nota 10!

    : D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gostei muito tb, me senti na pele dela nas cenas de ação... Tensa, apreensiva... mto legal mesmo.

      Saudades de vc e dos seus comentários, que bom que voltou a passear por aqui!

      Bjos!

      Excluir
    2. Você viu aquela linda cena dela com o fuzil.. Uma arte!

      Excluir
  2. Quando saiu o Tropa de Elite desejei ardentemente que houvesse uma "versão feminina".

    Esse filme foi melhor do que a "versão feminina" do Tropa.

    kkkk

    Agora desejo ardentemente a parte 2!

    : *

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahahaha pior que é né! Podia sair mesmo, por que ela mandou muito bem.

      Excluir