11 julho 2011

Cresce Cobrança Por Concurso da PF


Em discurso nesta segunda-feira, 13, o senador Mozarildo Cavalcanti (PTB-RR) relatou que os senadores integrantes da Subcomissão Permanente da Amazônia e da Faixa de Fronteira vêm realizando reuniões e audiências públicas com o intuito de buscar soluções definitivas para o desenvolvimento socioeconômico e a proteção das regiões fronteiriças do país. Mozarildo é presidente da subcomissão, que funciona no âmbito da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE).

A maior parte dos 17 mil quilômetros de fronteiras brasileiras são em áreas secas "sem nenhum tipo de obstáculo ao ir e vir de pessoas", disse Mozarildo. Em virtude dessa falta de fiscalização, acrescentou o senador, é comum o tráfico de drogas e o contrabando de armas e outras mercadorias - como medicamentos falsificados e produtos pirateados - nas fronteiras nacionais.

"É realmente lamentável que as nossas fronteiras sejam tratadas dessa forma", opinou.

Mozarildo elogiou a iniciativa da presidente Dilma Rousseff de lançar o Plano Estratégico de Fronteira, que tem por objetivo reforçar a segurança nas divisas do Brasil com outros países. Regiões como as fronteiras de Roraima com a Guiana e com a Venezuela, disse o senador, precisam de mais presença do Exército e da Polícia Federal.

"O Exército brasileiro tem unidades militares em quase toda a extensão, mas em número insuficiente, em quantidade de pessoal e em equipamentos também insuficientes. Então é preciso que, com esse plano de fronteiras lançado pela presidente Dilma, nós possamos melhorar a presença na fronteira toda", declarou.

Roraima

Mozarildo também aproveitou para pedir celeridade ao Ministério da Integração Nacional na liberação de recursos para Roraima em virtude das fortes chuvas e enchentes que atingem o estado. De acordo com o senador, as atuais chuvas em Roraima são as mais fortes dos últimos 35 anos e diversas cidades estão em situação calamitosa.

Segundo o senador, a cidade de Caracaraí, às margens do Rio Branco, está "completamente alagada", com pessoas desabrigadas e supermercados desabastecidos.

"Faço apelo para que realmente os recursos sejam liberados, e que as Forças Armadas, que já estão atuando lá, socorram inclusive os indígenas, da reserva Raposa Serra do Sol, no município de Uramutã, que estão isolados. Que esses recursos não só sejam liberados, como muito bem fiscalizados, porque senão nós vamos ter dinheiro lá, mas não chegando a ser aplicado na finalidade que é o atendimento a essas pessoas", afirmou.Agência Senado

2 comentários:

  1. Pronto este e o assunto que sempre tive vontade de falar, se for fiscalizar toda a fronteira precisaremos de um mega exercito, e tenho certeza que mesmo assim daria um jeito de a droga passar. Não sou contra mais temos que ser verdadeiros com nos mesmo, para sustentar este mega exercito o governo teria que despeja muito dinheiro.
    E como sempre digo: a solução do problema esta na raiz, isto e, nas nações em questão. Continuo afirmando não e o exercito Brasileiro que ira soluciona este mega problema que se arrasta por décadas.
    A solução esta em políticas publica, vamos blinda a sociedade com consciência, educação.

    ResponderExcluir
  2. intensificar os estudos né, nega?

    estudar sempre, jamais esmorecer

    ResponderExcluir