06 junho 2011

Dica de Filme


Data de Estréia: 03/06/2011
Gênero: Documentário
País de origem: Brasil
Tempo de duração: 74 minutos

Sinopse: No documentário Quebrando o Tabu, há 40 anos os Estados Unidos levaram o mundo a declarar guerra às drogas, numa cruzada por um mundo livre de drogas. Porém, os danos causados só cresceram. Abusos, informações equivocadas, epidemias, violência e o fortalecimento de redes criminosas são os resultados da guerar perdida numa escala global. Num mosaico costurado por Fernando Henrique Cardoso, o documentário escuta vozes das realidades mais diversas do mundo em busca de soluções, princípios e conclusões.

3 comentários:

  1. Excelente Mari!!!
    Vou arrumar um tempo para assistir.
    bjo

    ResponderExcluir
  2. Vi uma porrada de artista falando besteira ontem. Se vai descriminalizar o uso (pois ainda é crime, apesar de não ter pena de prisão), é necessário legalizar o comércio. Ou tudo, ou nada! Não há meio termo, pois se não fosse o usuário, não haveria tráfico! Enquanto houver demanda, vai haver oferta!

    ResponderExcluir
  3. Ô Gente...como eu A.D.O.R.O os anônimos!!

    Ok! Você pontuou duas coisas realmente importantes, concordo e faço das suas palavras as minhas. Mas é só isso que tem a dizer sobre a questão?

    E se houver demanda, oferta e isso não for mais um problema social e da segurança pública, não seria interessante?

    Não seria igualmente interessante a PF pode concentrar seu efetivo na apreensão de traficantes de arma, de traficantes de humanos e outras questões que não ode ser resolvidas com a sanção de uma lei?

    Não estou defendendo a droga, odeio o cheiro e a atitude irresponsável das pessoas que compram sem se importar com os problemas que geram. Mas sejamos racionais! Uma droga como a maconha, que faz menos mal que o cigarro, acho que deveria sim ser retirada da lista de problemas da polícia.

    Entenda, sou contra o uso de drogas ilícitas, TODAS elas, mas sou a favor da construção de uma país melhor e, se para tal, for necessário legalizar a maconha, então eu sou a favor.

    ResponderExcluir