14 abril 2011

PARA FICAR PUTO COM A JUSTIÇA DO BRASIL



O narcotraficante peruano Jair Ardela Michhue, o “Javier” (preso em uma operação que envolveu a polícia brasileira e peruana) apontado como o mandante da morte dos policias federais Mauro Lobo e Leonardo Yamaguti, em novembro do ano passado, teve rejeitada a denúncia de tráfico de drogas pelo  juiz federal  Ivanir César Ireno Junior. 

Preso no mês passado na “Operação Ilhas”, Javier  só não conseguiu a liberdade por ter outro mandado de prisão preventiva expedido pelo mesmo juiz, que rejeitou integralmente a denúncia contra ele, Walace Bezerra, vulgo “Inchirir”  e Fabian Arturo Marino Garcia, vulgo “Kuzy”.

Prisão de Javier
A detenção de Javier aconteceu na região do Peru, entre Islândia e Atalaia do Norte. De acordo com o delegado federal Sérgio Fontes, Javier era prioridade da PF desde 2007.
Ele agia na tríplice fronteira desde 2005. Na Colômbia, a Justiça já havia expedido dois mandados de prisão preventiva contra ele, além de outros três no Brasil e um no Peru.


DECISÃO QUE LIVRA JAVIER

SUBSEÇÃO JUDICIÁRIA DE TABATINGA


VARA ÚNICA FEDERAL DE TABATINGA



Juiz Substit. : DR. IVANIR CÉSAR IRENO JÚNIOR



Dir. Secret. : CÉSAR DUARTE MATOSO



EXPEDIENTE DO DIA 07 DE ABRIL DE 2011



Atos do Exmo. : DR. IVANIR CÉSAR IRENO JÚNIOR



AUTOS COM DECISÃO



No(s) processo(s) abaixo relacionado(s)



Numeração única: 120-34.2007.4.01.3201



2007.32.01.000120-7 INQUÉRITO POLICIAL


REQTE : DELEGACIA DE POLICIA FEDERAL EM TABATINGA

REQDO : ISAURO ANTONIO PORRAS DOS SANTOS

REQDO : WALACE BEZERRA

REQDO : NELSON FLORES COLLANTES OU DANIEL ACEVEDO FERNANDES

OU PEDRO FLORES MENDIETA

REQDO : HENRY GUTIERREZ FANDINO

REQDO : JAIR ARDELA MICHHUE

REQDO : FABIAN ARTURO MARINO GARCIA

ADVOGADO : AM00005269 - ADEMAR LINS VITORIO FILHO

ADVOGADO : AM00002788 - ALCIMAR ALMEIDA SENA

ADVOGADO : AM00003610 - IZABEL DE SOUZA OLIVEIRA

ADVOGADO : AM00005514 - MARIA ADELIA ARAUJO SILVA ALVES

ADVOGADO : AM00002150 - ROMULO ALMEIDA DO NASCIMENTO

ADVOGADO : AM00002469 - WALCIMAR DE SOUZA OLIVEIRA

O Exmo. Sr. Juiz exarou :

Em face do exposto:

1 - REJEITO integralmente a denúncia em face de JAIR ARDELA MICHHUE, vulgo JAVIER; WALACE BEZERRA, vulgo INCHIRIDO e FABIAN ARTURO MARINO GARCIA, vulgo KUZY.

Em razão da rejeição da denúncia, REVOGO, em relação aos mesmos, a decisão de prisão preventiva constante dos autos 2006.32.01.000279-1.

RECOLHER os mandados de prisão, com a advertência, expressa e bem destacada, de que JAIR ARDELA MICHHUE possui outro mandado de prisão expedido por este juízo, nos autos nº 2008.32.01.000213-0 (IPL 396/2008), que deu origem à ação penal nº 2008.32.01.000289-1, bem como está preso em flagrante nos autos nº 148-60.2011.4.01.3201.

2 - RECEBO a denúncia, integralmente, em face de ISAURO ANTÔNIO PORRAS DOS SANTOS, vulgo GALLERO e HENRY GUTIERREZ FANDINO.

Já em relação a NELSON FLORES COLLANTES, vulgo AQUARIUS, RECEBO a denúncia, somente, no que toca ao delito de lavagem de dinheiro.

Como os RÉUS estão foragidos, CITE-SE-OS por edital, nos termos do art. 396 e seguintes do CPP, com as advertências de praxe.

Decorrido o prazo do edital e não apresentada resposta à acusação, manter os autos suspensos, nos termos do art. 366 do CPP.

3 - JUNTAR aos autos cópia do MLAT expedido nos autos nº 2006.32.01.000278-8 (fls.343/345), com o objetivo de conseguir a certidão de óbito de ISAURO ANTÔNIO PORRAS DOS SANTOS. Oportunamente, juntar a estes autos, também, a resposta obtida em cumprimento do MLAT.

4 - Com o trânsito em julgado desta decisão, proceder às anotações e comunicações necessárias em relação aos ACUSADOS que tiveram a denúncia rejeitada, inclusive no que toca à retificação da autuação.

(...) INTIME o MPF e o acusado JAIR ARDELA MICCHUE, este por carta precatória.

PUBLICAR.

Juiz Substit. : DR. IVANIR CÉSAR IRENO JÚNIOR 


NOTA DA MARI:


PRECISO NÃO COMENTAR.

6 comentários:

  1. Estranho um Juiz "livrar" o cara e ao mesmo tempo ter expedido um mandado de prisão...

    O negócio é publicar uma sentença sem a fundamentação e dizer que está puto com a Justiça.

    Achar que basta a Polícia Federal prender o cara e não instruir o processo adequadamente, ou o MPF fazer uma denúncia (muitas vezes sem pé, nem cabeça, sem fatos, sem argumentos, sem provas, beirando a inépcia) e dizer que a Justiça é quem "livrou" o cara... Dizer que a justiça não funciona.

    O negócio é neguinho aparecer às custas dos outros. Sair na imprensa...

    Uma das poucas coisas que funciona direito no Brasil é a Justiça Federal. Que condena, quando tem que condenar, e absolve quando não há provas, mesmo quando a mídia e meio mundo de gente tá pressionando...

    Parabéns pra esse Juiz Substituto, que não precisa fazer seu trabalho "pra dar satisfação pra galera". Um dos juízes mais equilibrados que o Amazonas já viu !!!!

    ResponderExcluir
  2. Devemos respeita a decisão do DR. IVANIR CÉSAR IRENO JÚNIOR.
    Se a algo errado basta as provas...as palavras não dizem nada....(foto,gravação, filmagem e muitos outros).
    Respeito e bom e todos gostão.
    Esta divulgação e verdadeira com 100% de certeza???

    ResponderExcluir
  3. Detesto quando a pessoa faz um comentário e não coloca o nome. Da uma conotação de covardia (tanto no sentido de ter medo, quando o de não ser responsabilizado por seus atos).

    De qualquer modo, seu questionamento é pertinente. Entretanto, o motivo desse post não é questionar a decisão do juiz e sim o modo lento e burocrático de se fazer a justiça no Brasil.

    ResponderExcluir
  4. Parabéns pelo blog !!!! Excelente !


    Força e Honra !!!

    Att.

    Renato Taborda (renato.taborda@hotmail.com - msn)

    ResponderExcluir
  5. https://www.facebook.com/photo.php?v=635728593104559

    ResponderExcluir