12 abril 2011

Desarmamento


Lamento muito que uma pessoa doente, perturbada tenha entrado em uma escola e aberto fogo contra crianças inocentes, no Realengo. Realmente isso é inaceitável. Mas agora, os golpistas imundos do congresso, como o presidente do senado, José Sarney, um dos piores ex-presidentes do Brasil e que mais ajudou a levar o país para o fundo do posso, vem falar sobre suprimir o estatuto do desarmamento e proibir de vez as armas.

O louco do Wellington Menezes tinha dois revolveres adquiridos de forma irregular, uma vez que ele não tinha idade e nem dinheiro para adquirir armas de fogo dentro da lei. Para quem não sabe, o Brasil é um dos países que tem a legislação mais dura, inflexível, e mesmo injusta, para aquisição de armas no mundo. São toneladas de documentos e de procedimentos, alem, é claro, de taxas absurdas de impostos sobre o produto em si (armas) e de alguns procedimentos burocráticos a serem pagos. São tantos que um revolver calibre 38 custa no Brasil, o mesmo que um fuzil de AR-15 custaria no mercado norte americano, nação onde as armas podem ser adquiridas em supermercados comuns, como o Wal-Mart. Mesmo assim, nos EUA, o índice de homicídios por cada 1000 habitantes é a metade em relação ao Brasil. Esse fato, facilmente comprovado, já descaracteriza, completamente o vinculo da arma com índices de homicídios.

O Sarney e seus discípulos são de caráter bastante duvidoso e, infelizmente, são também fruto do despreparo do povo brasileiro, que em sua maioria, não sabe nem votar.

O Brasil não é uma democracia como dizem por ai. O Brasil é uma ditadura. A ditadura da falta de opção. Você, caro leitor, pode votar sim... pode escolher um representante para colocar no governo, porém, os candidatos são todos uns criminosos. Não há como acertar em quem votar. Simplesmente não deveria ser obrigado o voto.

Voltando ao caso das armas e especialmente no caso de Realengo, precisamos acordar para o fato que o que parou a ação do maluco foi, também, uma arma de fogo. Se não houvesse uma pessoa armada para atirar no psicopata, ele teria matado mais crianças, pois, como foi amplamente divulgado na imprensa, ele tinha mais 22 cartuchos. Essa informação, somada ao fato de como o Wellington sabia manusear as suas armas, deixa evidente até para um chimpanzé que ele mataria, pelo menos, mais umas 15 pessoas, além das 12 crianças que ele matou.

Se houvessem professores ou guardas municipais armados na escola, (coisa que no Brasil, graças à inversão de valores, seria mais sério e grave que colocar fogo numa imagem de Jesus), certamente esse doente teria ido para o saco muito antes de conseguir executar seu plano.

Armas não matam pessoas. Pessoas matam pessoas! Esse maníaco teria executado seu plano com uma colher, uma faca, um garfo ou até mesmo algumas pedras, se fosse o caso.
Por isso, amigos, não caiam na falácia dos golpistas do governo e de ONGs pacifistas, que de um lado detonam o direito de possuir armas e do outro, promovem a venda e uso de drogas para seus clientes, a população civil e alienada que alimenta essas instituições com o comércio de maconha, cocaína, heroína e crack. Alias, aproveitando a oportunidade de tocar no assunto, se fizerem uma auditoria séria nessas ONGs imundas como o "Viva Rio", sem que o auditor seja corrupto, seria interessantíssimo constatar a origem da receita deles. (Eles dizem que recebem doações... o que me faz rir muito (e chorar por dentro). No Brasil, o crime compensa. Basta ter um pouco de dinheiro a mais, para você estar acima da lei e fazer o que quiser mentindo para a população leiga que você é santo e bem intencionado. ACORDA BRASIL!!!!! Pois ainda vão te matar dormindo!!!!!

Texto adaptado do Blog Campo de Batalha Terrestre.

Um comentário:

  1. O Mari...esse é um assunto tão complicado que para uma opinião concreta sobre isso seria preciso horas de conversas né, mas resumindo de certa forma, sou a favor do desarmamento sim.
    Acho que a questão é desarmar o civil, a população de bem, não o bandido. Pra desarmar o bandido são necessárias outras políticas, tanto preventiva quanto de repressão.
    Acho que arma é pra quem tem treinamento, técnico e psicológico.
    Se mesmo os policiais com "todo treinamento" ainda comete falhas, imagina um civil.
    Mas, como eu disse, é um assunto polêmico...quem sabe a gente ainda discute isso num churrasquinho na ANP heheeh
    inté Mari

    ResponderExcluir