05 dezembro 2010

A PF Combate às Drogas em 5 estados


 A Polícia Federal deu início a uma operação que tem como objetivo executar 118 mandados judiciais ao mesmo tempo. Chamada de Cinco Estrelas, ela acontecerá no Estados do Tocantins, Pará, Rondônia, Mato Grosso, Rio de Janeiro e Goiás.

Os mandados são referentes a uma investigação que começou há um ano e desvendou uma quadrilha de tráfico internacional de drogas e associação para o tráfico que atua nos Estados onde a operação está sendo realizada. Além desses locais, a quadrilha também atua em uma região na fronteira com a Bolívia.

Segundo a PF, o grupo de Tocantins é composto por um articulador, um transportador e um financiador. O articulador é o responsável por fornecer uma espécie de logística e contatos pessoais para o tráfico internacional. Ele planeja e prepara o transporte de grandes quantidades de drogas para o Estado.

Duas outras partes do grupo têm bases em Goiás e Rondônia e são responsáveis pelo fornecimento da substância ilícita a traficantes nacionais. Segundo a PF, os integrantes agem como intermediários para o abastecimento de drogas para o grupo do Tocantins.

A droga era trazida para o país pela divisa da Bolívia com Rondônia e remetida à cidade de Goiânia (GO), que serve de grande polo de distribuição de drogas psicotrópicas a outras localidades do país. Um dos sócios do negócio ilícito serve como recebedor e vendedor da droga importada do país vizinho, mantendo o controle do estoque e contabilidade do bando. Outros traficantes arquitetavam o transporte da substância ilícita importada para as localidades onde estavam sediados os encomendadores da droga, recebendo como pagamento, parte do lucro obtido com a importação realizada.

A investigação teve início com o grupo estabelecido em Tocantins, que por diversas vezes realizou contatos, encomendou e adquiriu drogas ilícitas do grupo de Goiânia (GO) e Rondônia. Inclusive os 350 kg de cocaína apreendidos pela PF em Tocantins no ano de 2009. A partir daí, foi possível identificar os demais autores do tráfico internacional de drogas e a forma como arquitetavam os crimes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário