03 novembro 2010

Motivação para o Concurso


Como algumas pessoas sabem, deixei o meu e-mail no perfil para que as pessoas pudessem entrar em contato para esclarecer dúvidas ou coisas do tipo. Já há algum tempo as pessoas me escrevem com dúvidas e às vezes para elogiar o blog ou algum post. Mas te uma pergunta que é um tanto quanto constante. Várias pessoas me perguntam sobre a minha motivação para o concurso.

Ao responder a um destes e-mails, tive a idéia de fazer um posto onde, não só eu, mas os leitores pudessem também expor suas motivações e sua visão da instituição.

Já há algum tempo que acompanho a Policia Federal e, ao contrário de muitos, não me deixo levar pela falsa impressão de que tudo são flores. A Policia Federal é um órgão que ainda precisa melhorar muito. Os salários são bons e a instituição é muito bem vista por todos os ramos da sociedade, mas as diárias de viagens não são pagas em dia, as lotações nem sempre tem a infra-estrutura que precisariam ter muito menos o contingente que precisam, há uma grande disputa de egos e salários entre alguns cargos e o fato de o chefe muitas vezes ter menos experiência que os demais, atrapalha bastante o desenvolvimento das coisas e a falta de investimento muitas vezes compromete as ações tática da policia.


Aliado a isso está à noção de que policial não tem vida, tem folga. Digo isso por que, a essa altura, todos já sabem que o policial tem o dever legal de agir, mesmo nas horas de folga. Além do mais, as horas de folga do policial não são as mais convencionais. Finais de semana e feriados são dias de plantão para alguns.



Salienta-se que os próximos concursos serão para as unidades de fronteira e Amazona Legal. Se você já mora em uma dessas regiões, não muda muita coisa pra você. Mas se você habita em qualquer outra região do país, vai sentir a diferença. Além do mais, ficar a milhares de quilômetros de casa é dureza. Dependendo da lotação, principalmente se é no norte, é mais barato ir para a França ou par ao Caribe, e isso não é exagero.



Por fim, falemos do risco de vida que envolve a profissão. Esse requer poucas explicações, a sua veracidade é comprovada pelo simples fato de que precisamos andar armados. Não importa se você é escrivão, papiloscopista, perito, agente ou delegado. Nem importa se você nunca prendeu ou atirou em alguém. Para o bandido você é policia e muitas vezes isso basta para ele querer te ver numa vala.



No entanto, mesmo sabendo disso ainda buscamos a carreira.

Para algumas pessoas isso é loucura. Para outras, não faz sentido ter uma pessoa com diploma subindo o morro para prender bandido (sim, a PF sobe morro). 


Se você for mulher então, piorou. Ser policia na cabeça de muita gente é coisa de macho e mulherzinha não deve e nem sabe fazer papel de “homem da lei”.



Para nós isso tudo é sabido e devidamente pautado nas constantes discussões nos fóruns e blogs que acompanhamos. Mas por algum motivo, não nos desmotiva.

A meu ver caros amigos, o que nos difere das demais pessoas é que, apesar de saber disso, não nos intimidamos perante essas coisas. Assusta, claro. Tem que assustar, mas intimidar é diferente. Não se trata de coragem e sim motivação. O tema deste post caros colegas, é o que nos torna tão diferentes.

Para em fim responder à questão central deste texto, digo a vocês caros leitores, minha motivação está alicerçada no que há de mais óbvio na profissão.


A minha motivação é a minha vontade de fazer a diferença, é a vontade de fazer algo a respeito das pessoas que trazem as drogas para as escolas, ou que traficam crianças e animais. A minha motivação é a minha inabilidade de me manter estática diante do caos, do crime e da violência.
A meu ver, leigo por hora, ser policial é estar sempre pronto e disposto a reagir. Custe o que custar estando ou não afim. Claro que existem diversas prerrogativas associadas a todas essas situações, mas terei de viver como policial para de fato saber se me assista ou me move.



A nossa motivação é aquilo que não te deixa desistir nem diante de tantos entraves, é aquilo que me mantém acordada, depois de um dia cansativo de trabalho e horas de exercício na academia, diante de um livro de Direito Administrativo. É ela que me faz ficar em casa estudando no feriado ou no sábado de dia.



Motivação é ouvir a Dilma falar 10 vezes as palavras Policia Federal em 4 minutos de réplica durante o debate, quando foi perguntada sobre a corrupção.

Motivação é pensar na ANP, nas aulas no SAT, nas aulas de resgate aquático, no curso como um todo.



Motivação é ver um policial operacional e ter vontade de pedir um autógrafo.
Motivação é ler que o ministro da justiça quer investir na PF.

Motivação é saber que mesmo morando longe de casa e da família, vou estar na Amazônia, vou poder participar das operações como a Arco de Fogo ou São Francisco.



Motivação é o meu modo de encarar as dificuldades e desafios que a vida e minha escolha me impuseram.

Minha motivação são vocês, que continuam lendo, comentando e participando desse blog que se tornou uma válvula de escape para minha incessante vontade de falar da PF e, ao mesmo tempo, um amparo para minhas angústias.



Aproveito para contar-lhes que o blog atingiu os 6.500 acessos por mês...agora só falta o pessoal começar a participar dos posts.



Bjosss!

16 comentários:

  1. Eu adorei esse texto!
    Motivação é algo muito pessoal mas vc conseguiu explicar aí tudo direitinho.

    Algumas pessoas realmente não entendem como alguém pode ficar estudando horas, passar o fds na frente de um livro e ainda assim dizer - "Tenho muito o que estudar!"

    Outras acham irracional querer sair de casa, morar numa região sem muita estrutura, longe de tudo e de todos.

    E há ainda os que tentam fazer a gente mudar de idéia - "Mas Polícia?! Pq não tenta vaga em tribunal?"

    Já vivi um tanto disso várias vezes.
    E sei que ainda vou viver.
    Mas só a gente sabe quanto vale esse esforço.
    Às vezes é mais que uma vida profissional - é a satisfação de toda a vida.

    ResponderExcluir
  2. Oi Lê. Muito bem exposto. É a satisfação de toda a vida que todos buscamos, e isso é difícil de explicar para quem não compartilha o mesmo ideal.

    Você vai tentar para delegada. Pela fala do tribunal, presumo que seja formada em Direito, é isso mesmo?

    Bjos

    ResponderExcluir
  3. Ar-ra-so-uuu, linda! hehehehe
    Me identifiquei com tudo que vc falou aí.
    Eu também não puxo o bico quando a coisa fica pesada, e o que tiver que encarar, a gente vai encarar.

    Beijão

    Obs: é pra fronteira mesmo que eu quero ir. Quanto pior, melhor ^^

    ResponderExcluir
  4. Oi Mari!

    Nem sou formada em Direito.
    Mas acho que as pessoas falam em Tribunal pq pensam que escolhi a PF pelo salário.
    Eu vou tentar pra Agente!
    (:

    Bjo

    ResponderExcluir
  5. A maior motivação é a busca do sonho de entrar para o DPF mesmo,de felicidade em passar por todas as etapas do concurso e fazer isto até ficar bem velhinho haha.

    Concordo com a colega que é algo bem pessoal. Eu por exemplo tenho reportagens sobre a PF coladas na parede do quarto,bem de frente com a escrivaninha de estudo.

    Dependendo do dia algum post nos blogs dos colegas que falam da PF já motiva,um vídeo,uma frase ou uma prova bem resolvida dá aquela motivada de continuar na batalha.

    É isso ai,vamos em frente que nossa hora chegará.

    Abraço

    ResponderExcluir
  6. Ei Criska. Que bico que nada gata, o negócio é esse mesmo, a vida não da mole então o negócio é encarar com força. Se tudo der certo, quem sabe não encaramos juntas...vamos mostrar pra esse povo que "Homem da lei" também usa salto rsrs.

    BjoS!

    ResponderExcluir
  7. Mulher casca grossa! É isso ai Lê vai com fé então que o seu ta chegando.

    Bjos

    ResponderExcluir
  8. Grande Bruno, você sempre foi dos meus!
    O negócio é buscar motivos onde puder e usar isso de combustível para seguir em frente.

    Chegando mesmo, ano que vem já ta ai!

    Bjos!

    ResponderExcluir
  9. Fabuloso seu texto, Mari.
    Agora tenho que ir dormir, mas prometo vir comentar melhor.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  10. Ótimo texto, Mari. De verdade...
    Motivação é trabalhar a cada dia, depositando um pouco mais no sonho. Sonho este que se materializa no privilégio de contribuir para prender um político sangue-suga, que contribui para a miséria e violência da cidade que você ama, e que nasceu, por exemplo.
    É escolher trabalhar de forma ativa, em um órgão que defende a lei do país onde vivo e me orgulho; que contribui para diminuir, nem que seja um pouco, toda a podridão que mancha a felicidade e dignidade do nosso povo.
    Sabe, confessando para vocês, eu sou um cara normal. Um sujeito passível aos medos e receios em seguir a profissão que meu coração escolheu. Exatamente por isso, por ser algo que realmente quero, que faço deste projeto uma opção de vida mesmo. A frase pode ser clichê, mas eu sei que tudo que depender de mim, eu farei.
    Motivação é uma oportunidade de me revestir a cada dia do orgulho e satisfação, mas ao mesmo tempo dos receios e perigos desta profissão.
    É literalmente entregar as forças e toda uma ideologia em prol de algo que se acredita, no nosso caso, uma profissão que é sim, nobre.
    Motivação é, coincidentemente como o colega Bruno, juntar reportagens sobre o DPF. Ter uma coletânea de mais de 120 fotos tiradas da internet. É toda vez que o estudo ou o treino apertar, lembrar que só assim alcançarei o que quero.
    É perceber que por mais que as estapas sejam muitas, é exatamente o caminhar, que me prova a cada dia, como sonho em ser Agente de Polícia Federal.
    Polícia sim, todas eu admiro e respeito. Mas a federal por um motivo simples: poder trabalhar pelo país, e até, por que não, me ver obrigado a estar nos mais remotos locais desta terra.
    Remuneração, staus, imagem do DPF..., claro que isso alegra, claro que isso soma. Não sou hipócrita. Mas de verdade, mesmo que as dificuldades sejam muitas, são estes os ingredientes, um a um, que me impulsionam ao meu objetivo.

    ResponderExcluir
  11. Essa saga para ser PF é algo que só quem deseja isso de corpo e alma, como a gente, entende.
    Até agora não encontrei ninguém pessoalmente que entendesse esse caminho de vida que escolhi trilhar.
    Nem minha familia, que me apóia muito por sinal, eu sinto que entende esse sentimento. Mas mesmo assim apesar do desânimo, da ansiedade e dos medos de não conseguir passar, eu não consigo desistir de ir atras desse sonho.

    Abraços

    ResponderExcluir
  12. Que prazer ver essas meninas todas reunidas por aqui!

    E por isso que eu boto muita fé nessa próxima leva de novinhas da Papa Fox.

    Se este post fosse lido em voz alta seria "música para os meus ouvidos". Como estou lendo-o... é colírio para os meus olhos (eu sei que é brega até não ter mais como, mas é tudo o que posso dizer).

    Só na torcida!

    ResponderExcluir
  13. Edu...tu ta me devendo camarada...RSRSRSR! No aguardo!

    ResponderExcluir
  14. Rodrigo faço minhas as suas palavras.
    Todas as policias merecem respeito e a devida honra, mas para nós a PF é diferente...é um algo mais.

    Força e perceverânça!

    Abçs!

    ResponderExcluir
  15. Jonathan são poucos os que entendem o que a PF seginifica para nós, muito dos que prestarão os próximos concursos não estão buscando a carreira, querem o vencimento. Mas verdade seja dita, emquanto tremular a bandeira nacional na fronteira do país homens e mulheres de bem serão necessários, e é nessa hora que iremos dar nossos préstimos.

    Abçs!

    ResponderExcluir
  16. Gatona...você é parte daquilo que me motiva, que me move em direção à essa linha de chegada.

    Sem você boa parte dessa motivação não iria pulsar em cada veia.

    Sua torcida é sempre, e muito, bem vinda!

    Bjo

    ResponderExcluir