30 novembro 2010

Inteligência na Segurança Pública


 Desde que o governo unificou o sistema de repressão aos crimes ambientais, o combate às fraudes tem avançado, apesar de elas estarem cada dia mais sofisticadas. Daí a importância do uso da inteligência em ações de contrainformação postas em prática de 2009 para cá pela Polícia Federal e pela Agência Brasileira de Inteligência (Abin).
A Operação Arco de Fogo, da PF e da Abin com Polícia Rodoviária Federal, Ibama e Força Nacional de Segurança no Maranhão, Mato Grosso, Pará e Rondônia, apreendeu 247.173,01 metros cúbicos de madeira, o suficiente para encher 8.231 carretas. E as maiores apreensões ocorreram em março e abril deste ano, totalmente planejadas pelo setor de inteligência.
Segundo Cláudio Gomes, delegado da PF e coordenador-geral da Polícia Fazendária, hoje a repressão não é mais feita contra o pequeno delinquente. A PF se volta agora para os grandes chefes das cadeias das fraudes, seja na distribuição da madeira ilegal, seja na venda dela para o exterior. Gomes disse que há uma certeza entre os que combatem o crime: as fraudes sempre passam por dentro dos órgãos ambientais. Começam sempre no plano de manejo florestal.
"As quadrilhas insistem na derrubada das árvores porque a atividade é das mais lucrativas: o metro cúbico, que custa R$ 100 na origem, é vendido a R$ 1,4 mil quando chega ao Sudeste ou a U$ 4 mil quando madeira como o mogno é exportada."
O delegado Franco Perazzoni, do setor de inteligência no combate aos crimes ambientais, diz que, além do trabalho conjunto dos órgãos envolvidos, é preciso melhorar a análise dos planos de manejo e obter maior transparência na fiscalização realizada pelos Estados, além da integração dos bancos de dados.
Nas ações de inteligência, a PF identificou fraudes diversas. Entre elas, o transporte de pelo menos 10 mil metros cúbicos de madeira (333 carretas) por um veículo que aparecia em vários locais em curtos espaços de tempo. Verificada a placa, descobriu-se que pertencia a uma moto.
Outras fraudes estão na concessão de autorização de desmatamento, de manejo ou de emissão de guia de transporte e documentos "esquentados", abastecendo e incentivando todo o esquema.
Fonte: Estadão

Nenhum comentário:

Postar um comentário