12 outubro 2010

Forças Especiais - GSG 9 der Bundespolizei






FUNDAÇÃO - 1973
SEDE - Hangelar, Alemanha
HISTÓRICO - GSG 9 é a abreviatura alemã para Grenzschutzgruppe 9, em português: Grupo 9 da Guarda de Fronteira. É a unidade de resposta contra terrorista da Policia Federal Alemã (Bundespolizei), considerada uma das mais eficientes do mundo.
Nascido da história e da tragédia, GSG-9 foi a resposta direta da polícia alemã para combater o terrorismo após as ações do grupo terrorista Setembro Negro nos Jogos Olímpicos de Munique de 1972.
Criado dentro da polícia federal nas fronteiras (Bundesgrenzshutz) e não militares, para evitar a impressão de um novo SS, a criação da unidade foi receber luz verde em 8 de setembro de 1972. O comandante foi Ulrich Wegener, um perito em contra terrorismo. Ele moldou o GSG-9 a exemplo do Mat'kal Sayeret israelense.

O GSG-9 tornou-se operacional em 17 de Abril de 1973. Na época duas unidades estavam prontas para a ação. Receberam poderes de prisão e de autoridade nacional.
Os operadores do GSG-9 são atiradores qualificados, bem como policiais altamente instruídos.
Um benefício que a polícia federal nas fronteiras a associação fornece aos esforços do Governo alemão CT é que esses operadores altamente qualificados também podem conduzir em longo prazo infiltração de grupos terroristas, que aumenta o potencial de impedir qualquer ato ilegal, antes que aconteça, ao invés de simplesmente reagir após o fato. Sempre tem sido exigente seleção para aqueles interessados em tornarem-se membros da GSG-9.
De acordo com sua carta estrita, todos os recrutas devem ser voluntários e todos devem ser provenientes do Bundesgrenzschutz. Para aqueles que já são membros do exército alemão (Bundeswehr), eles devem sair e, em seguida, juntar-se à polícia federal para se tornar elegível.
O curso de formação inicial é de 22 semanas. Nas primeiras semanas aprende-se os conceitos básicos de operações antiterroristas e da polícia, incluindo uma relação de trabalho acadêmico muito maior do que o encontrado na maioria das outras unidades CT. Esta singularidade é atribuível às responsabilidades adicionais que o agente do GSG-9 tem como membro da polícia, em vez das forças armadas.
A última metade é dedicada à especialização de habilidades de operador e estudos avançados antiterrorista. Uma taxa de reprovação de 80 por cento não é incomum.

ESTRUTURA - O GSG 9 está dividido em 3 secções,
1.    Anti-terrorismo convencional;  O primeiro sub-grupo do GSG 9 é utilizado para ações terrestres regulares contra o terrorismo. Isso pode envolver casos de seqüestro, rapto, terrorismo ou extorsão. O grupo também pode ser usado para guardar locais seguros, neutralizar alvos e rastrear fugitivos.
2.   Anti-terrorismo marítimo: É utilizado para operações no mar, por exemplo, em sequestro de navios ou plataformas petrolíferas.
3.   Anti-terrorismo aéreo: É utilizado para operações aéreas, incluindo pára-quedas e pousos de helicóptero.

Como toda e qualquer organização de segurança, o GSG 9 possui uma equipe interna, que participa indiretamente das ações do grupo, através de ações que vão desde atividades de inteligência até o treinamento e solução das questões burocráticas associadas à função. Cada uma das unidades possúi uma função primordial na organização e estrutura do grupo.

Unidade Técnica -  Esta unidade dá suporte a outras unidades para entrar na área alvo e é responsável pela obtenção, análise e emissão de equipamentos que não sejam armas. Os membros da unidade técnica também são especialistas em ordem de destruição de explosivos. Eles são treinados para o processamento e a eliminação de dispositivos explosivos improvisados.
Serviços Centrais - Este grupo de serviços mantém o arsenal do GSG 9 e está envolvido em testes, reparos e compra de armas, munições e explosivos.
Unidade de Documentação - Esta unidade processa as comunicações, incluindo os testes, reparos e compra de equipamentos de comunicações e vigilância.
Equipe de Operações - Controla a adiministração do GSG 9.
Unidade de Treinamento - Esta unidade treina membros existentes, e seleciona, recruta e treina os novos membros.
Cada uma das secções tem um treinamento e preparação conformes com sua missão final. Desconhece-se o número exato de membros do corpo, mas estima-se que são uns 250 homens entre os três grupos.

EQUIPAMENTO - Para a Policia Federal Alemã dinheiro não é problema quando se fala de segurança. O investimento é pesado em proteção e, com isso o arsenal desse grupo de elite é composto pelo que há de melhor no mercado bélico.
Submetralhadora  MP5 e MP7 (em várias versões/configurações  da Heckler & Koch)



Rifles de assalto  G36, G36K e G36C (Heckler & Koch)
Carabina  HK416 e HK417 (Heckler & Koch)
Rifle automático G8
Rifle de Sniper AMP Technical Services DSR-1
Rifle de assaulto SIG Sauer SG 550
Rifle de assaulto Steyr AUG A3
Pistola Glock 17
Tático USP 45 (chamado P12)
Revólveres . Magnum 357 (Smith & Wesson e Ruger)
Várias espingardas
Lançador de granadas MZP-1 (Heckler Koch)
Arma anti-tanque MBB (Armbrust)
Bota Tática GSG 9 (projetado especificamente para o GSG 9 pela Adidas)





O QUE ISSO TEM A VER COM A PF?





O Comando de Operações Táticas – COT da policia federal brasileira tem sua estrutura e treinamento baseado nas táticas e operações do GSG9.


Um comentário: