10 agosto 2010

Conselho de Mestre

Já dizia minha avó "Fala quem sabe. Ouve quem tem juízo"
Texto Escrito pelo APF Sandro Araújo - Autor  do Livro e Blog homônimo, Anjo da Noite. 


"Mais uma vez, acabo me dirigindo a tantos, que sonham um dia ingressar no Departamento de Polícia Federal. Agora, com um pouco mais de motivos, uma vez que pessoas próximas alimentam esse anseio, e eu, observando tudo o que é preciso para atingir tal meta, não deixo de tentar, humildemente, iluminar o caminho tortuoso, que vai do concurso à nomeação.

Em plena sexta-feira, por volta de 18:05h, que é o momento no qual escrevo, sem querer, sou envolvido por uma onda de lembranças. O silêncio reinante por aqui, na Delegacia de Polícia Federal de Niterói, de certa forma, inspira-me a escrever estas linhas. Já são quatorze anos por aqui. Lembro bem que, assim que entrei e era um simples “novinho”, como são chamados os calouros policiais, jamais acreditei que mudaria minha visão do que é ser policial.

Eis que o tempo passou e percebo-me com o mesmo sangue APF positivo correndo nas veias. Praticamente, faço tudo igual aos dias iniciais...as mesmas precauções, os mesmos exercícios mentais...os mesmos cuidados com o armamento...a vigilância constante enquanto caminho pelas ruas...e as mesmas esperanças de um Departamento melhor e mais moderno no futuro.

Penso se ainda vivenciarei as mudanças que tornarão este órgão realmente digno de ser considerado de primeiro mundo. Mas todos vocês, novos policiais, e aqueles que aspiram entrar nesta Polícia, com certeza, terão papel fundamental nessas mudanças. Para isso, preparem-se mesmo antes de ingressar. Adentrem os portões da Academia Nacional conscientes do seu papel.

E que papel é esse? Será que é mais que um bom emprego, com um salário inicial acima da média nacional? Será que a busca por um lugar por aqui, deve ser pautada apenas pela necessidade de estabilidade? Afinal, que papel é esse, do policial? O que o torna diferente dos simples mortais?

Aqueles que vivem Polícia e a têm correndo em suas veias, sabem que em seu meio serão verdadeiros imortais...O tempo passou para mim aqui e sempre sobra espaço para homenagear os bons que se foram por qualquer razão. Fazer o melhor irá torná-los diferentes e únicos. Simplesmente inesquecíveis.

Quando entrei neste DPF, o salário seria, em valores de hoje, algo em torno de 800 reais. Será que foi o dinheiro que nos motivou? Será?... O desejo incontido de fazer a diferença, de buscar justiça, paz...de ser reconhecido entre os pares como alguém que busca a excelência de atuação, sem jamais esquecer de honrar os antigos...

Eis uma questão crucial...os antigos...e hoje, já posso ser incluído nesse rol. Por mais que houvesse vícios, por mais que o profissionalismo não fosse tão grande, os antigos com os quais convivi serão sempre honrados e venerados por mim. Foram eles que construíram o alicerce no qual me apóio e todos vocês irão pisar um dia.

Até hoje, por mais velho que eu esteja, dirijo-me a eles como se eu ainda fosse o garoto recém empossado, com o maior respeito do mundo...Quase como um filho se dirige a um pai ou a alguém com quem aprendeu valores complexos, no intrincado Universo que é a Polícia, seja ela Federal, Civil ou Militar. De qualquer maneira, agradeço a eles...

Entrei no Departamento para ter uma página só minha. E acredito que essa deva ser uma idéia de todos aqueles que almejam caminhar por aqui. A construção da lenda pessoal de cada um é efetivada a cada dia, de trabalho honesto, centrado e voltado, principalmente, para o público. Estar aqui é ser abnegado...ser generoso...ser colega...parceiro... Apesar deles existirem, não há espaço para individualistas por aqui...Quando identificados, esses indivíduos ficam estigmatizados por toda a carreira. Se você, futuro policial, tem dificuldades de trabalhar em equipe e colocar a vida do parceiro no mesmo patamar de importância que a sua, desista antes de entrar. Aqui não será uma boa casa para você.

A humildade também tem sido um artigo em falta entre muitos novatos com os quais convivo. Lamentável de ver, como em tão pouco tempo se julgam “super”, melhores que tudo e todos. A maioria acorda a tempo...Alguns, passarão suas vidas acreditando nessa mentira forjada em suas mentes, de serem melhores que todos.

A todos vocês que anseiam pelo momento de vestir a roupa negra, vivam cada fase como se fizessem parte efetiva disto...Em cada página do material didático com o qual se preparam para a prova, mentalizem suas vidas, como se a Polícia já fosse parte integrante delas. Encham o coração de certeza. Visualizem suas atribuições e o que a sociedade espera de vocês, que não é pouco... Não temam...Não tenham medo de NADA. Se a Polícia faz parte de seus futuros, NADA poderá impedi-los de atravessar os portões daquela Academia, na cidade satélite de Sobradinho, onde a história real de todos vocês começará a se tornar realidade.

Grande abraço a todos"

Precisa falar mais alguma coisa...

Nenhum comentário:

Postar um comentário