09 junho 2010

Momento Pronto Falei - Parte 2


Coisa chata é o julgamento alheio. Sempre que falo sobre minha pretensão a um cargo na PF, alguém me olha com aquela cara de quem diz “Há! Conta outra!”. Alguns perguntam “mas você vai ter coragem?”,outros já se antecipam; “ah, mas você não vai ter que andar armada nem dar tiro, ai e fácil”, ou a máxima “Você... com essa carinha de patricinha? Deixa de graça!

Enganaram-se todos.

Primeiramente, coragem me sobra, e se quiser lhe dou uma pouco.

Andar armada...hahahaha ... Não só pretendo, como é prerrogativa do cargo e da atividade de natureza policial que irei exercer.

Por ultimo, mas não por fim, patricinha ?? Desde quando feminilidade é sinônimo de fragilidade? E que sexo frágil que nada, o sexo feminino é mais que forte, é feito para ser. As mulheres é que carregam o filho na barriga por 9 meses, dão a luz e amamentam. Depilar, TPM, trabalhar, cuidar da casa e dos filhos e ainda ser mulherzinha para manter o dito cujo interessado... Vão dizer que é coisa para gente mole?

Quer fazer comparações e associar estereótipos, por mim que faça, mas me chame do que sou. Mulher sim, feminina com muito orgulho, nem por isso deixei de ser bióloga, das que pega em sapo e serpente, sobe em árvore e brinca de tiro ao alvo. Nem por isso a PF me assusta. Tenho muito mais medo de gente armada contra mim, desarmada, que tenho de me defender a tiros.

Tem gente que tem tanto medo de perder, que perde por medo. Eu não.

Não se trata de coragem, muito menos inconseqüência. Trata-se de fazer o que se deve, caminhar naquela que se sente ser sua estrada e o fazer com a cabeça erguida para ver onde pisa, ainda que descubra ter cometido um erro. Prefiro errar tentando que viver sem saber o que teria sido.

Sei que muitos irão me desanimar, e dizer que é difícil, como sei também que nessa jornada ainda vou ver muita gente que se diz preparada para luta. Pois que escolham suas armas. Não entrarei nesse ringue com a guarda baixa. A minha estratégia é traçada com destreza e muita cautela. Não pretendo ir ate o ultimo round. Quem subir ao ringue, suba ciente que esta luta só se vence por nocaute e minha direita vai ser digna de fatality no Mortal Combat .

Não importa o que digam, sua luta é sua, como também é a conquista. Cada um sabe o que faz e o que deixa de fazer para chegar onde quer e nada, nem ninguém, pode impedir que chegue onde quer...SÓ VOCÊ.

Desistir não é uma opção. Se preparar é uma constante luta entre o desejo e a incerteza que cerca o concurso do DPF. O preparo por si só, é de humilhar a saga das 12 casas dos Cavaleiros do Zodíaco. Tenho certeza que, se fosse nos dias de hoje, o oráculo não daria a Hercules 12 trabalhos, lhe daria um só. Entrar para o DPF. Acredito que ele ia preferir matar mil Leões de Neméia a cumprir essa unia tarefa. Nos dias de hoje, para se chegar a um cargo da Policia Federal o candidato tem ser uma espécie de Dr. Hank McCoy ou possuir outro poder digno da Marvel Comics.

Mesmo não sendo mutante, garanto que estou mais para besouro que para avião. Olhar para um avião e dizer que ele voa é fácil, afinal, ele foi projetado para voar. Cada milímetro dele foi minuciosamente esculpido e calculado para se equilibrar no ar. O besouro por sua vez, é grandalhão e desajeitado, suas asas pequenas e finas demais para suportar tanto peso. Mas, contrariando as expectativas e as leis da física, ele voa.

Para as leis da aerodinâmica, a simples idéia é uma afronta, é um fato inexplicável que contraria todas as normas técnicas, o equilíbrio e não faz justiça a figura que se tem do besouro ou do avião. O coleóptero, por sua vez, ignorante da existência de tal norma, voa despreocupado, não se importando com o titulo de rola-bosta.

“Se as coisas são inatingíveis... ora!

Não é motivo para não querê-las...

Que tristes os caminhos, se não fora

A presença distante das estrelas!”

(Mario Quintana)



3 comentários:

  1. Grande texto guerreira.

    Esse é o caminho.firme e forte sempre.

    Rumo ao DPF.

    Abraço

    ResponderExcluir
  2. Adorei seu texto, apesasr de ter adicionado recentemente o seu blog em minha lista de favoritos. Apesar de ser um erro dizermos que não nos importamos com a opinião dos outros (talvez por essa afirmação você ter escrito o texto) não é porque os outros dizem que não vamos conseguir que simplesmente paramos né? Você tá com a visão certa e o espírito de policial, boa sorte nos estudos e tomara que em breve a PF tenha o prazer de tê-la na corporação. Se quiser me add no msn pra conversarmos sobre o concurso meu email é ellison.cocino@hotmail.com

    beijosss

    Ellison

    ResponderExcluir
  3. É isso ai galera...
    Não somos imunes ao mundo que nos cerca, mas é nossa responsabilidade não deixar que isso mudo o que somos.

    Já dizia Honoré de Balsac " A maioria dos dramas está nas idéias que formarmos das coisas. Os acontecimentos que nos parecem dramáticos são só assuntos que nossa alma converte em tragédia, ou em comédia, à mercê do nosso carater"

    Deixe que pensem, que digam que falem.
    Sou o que sou, não o que pensam que sou, menos ainda o que esperam que me torne.

    Abraços e Bjos!

    ResponderExcluir