06 maio 2010

O Início...

Aos 14 brincava de policia e ladrão com meus irmãos e vizinhos. Tinha uma réplica perfeita de uma pistola Taurus 9mm, até o peso era igual.
Aos 16, conheci a pessoa que se tornou fundamental na jornada rumo à PF e aos 17 me apaixonei por ele.
Ele sonhava com a carreira militar e havia tentado concurso para ingressar na ESPCEX algumas vezes, mas não obteve sucesso na prova. Aos 17 anos, ele já sabia que tinha vocação, mas ficava cada vez mais frustrado com seus resultados.
Durante aquele ano ele conheceu a PF através da prima, que tinha passado para APF na época.
Ele foi à ANP para a formatura e o baile da turma dela e lá, um instrutor de tiro o levou para conhecer a academia.
Daquele momento em diante, ele foi transformado. Formou no colégio e cursou direito em busca da carreira de delegado na Polícia Federal.
Aos 19 ingressei na universidade em busca do meu sonho, a minha vocação, a Biologia. Achava que ao formar, faria concurso para perita, afinal amava a genética, e queria ser o Grissom ou a Catherine Willows da vida real. Mas ao longo do curso, descobri uma vocação pela Gestão ambiental e deixei de lado o CSI.
Aos 24 me formei e fui em busca da tão desejada Consultoria Ambiental.
Hoje, aos 26, acompanho diariamente a realidade dele na ANP e, por isso, sei bem a realidade que o CFP impõem a todos que la estão. Fiz buscas na internet por informações e assuntos associados à vida policial, para ficar mais por dentro da realidade dele, e poder conversar com ele sobre isso também. Foi assim que descobri que poderia ser Perita Criminal de Meio Ambiente da Policia Federal. Foi a junção da vocação, desejo de fazer algo maior pelo mundo e a vida policial.
Descobrir isso, foi fantástico e quanto mais eu busco sobre o assunto, mais percebo que quero a carreira de PCPF.

Um comentário:

  1. Almejo algo parecido com você.
    E ao procurar na internet, encontrei seu blog, que tem me ajudado demais.
    Obrigada Mari.

    ResponderExcluir